chamusca bibliotecatecfresh2018 slide

Saúde

suporte basico vida

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), em parceria com a Secção Regional do Sul da Ordem dos Enfermeiros, realizou nas últimas semanas três sessões, todas esgotadas, de Cursos de Suporte Básico de Vida Pediátrico.

Com 144 participantes, o projeto “Gestos que salvam vidas”, foi direcionado para pais, educadores, professores ou cuidadores, e promoveu a aquisição de competências em manobras de suporte básico de vida, que podem ser utilizadas em casos de afogamentoou engasgamento de crianças.

Em nota de imprensa, o CHMT considera que "o objetivo estratégico do projeto gestos que salvam vidas foi amplamente conseguido ao promover a literacia em saúde e garantir uma maior proximidade entre os cuidados de saúde e a comunidade", pelo que estão já previstas novas ações de formação que serão divulgadas oportunamente.

qualidade ar

A qualidade do ar em Santarém é boa mas há espaço para melhorar, sobretudo reduzindo as emissões de gases poluentes dos veículos automóveis. A conclusão é do Relatório da Monitorização da Qualidade do Ar na cidade de Santarém, que foi apresentado esta quinta-feira, 20 de setembro, no edifício dos Paços do Concelho.

O estudo foi feito em 15 locais da cidade, com recolha de dados em duas ocasiões distintas: uma entre 4 e 11 de junho, no final do ano lectivo, e outra entre 25 de junho e 2 de julho, já em período de férias escolares dos alunos.

E os dados não enganam, no período escolar, com maior circulação automóvel, os níveis de óxidos de azoto foram, em média, 20% mais elevados e, no caso do ozono, o aumento foi de cerca de 30%.

Daniel Afonso, da empresa que realizou o estudo, revelou que os transportes são a principal fonte poluidora, salientando a importância da redução das emissões de gases poluentes na redução da poluição atmosférica.

As medições foram feitas junto ao Convento de Santa Clara, à Escola Secundária Sá da Bandeira, na Estrada Militar (São Bento), em Vale de Estacas, nos centros escolares Salgueiro Maia e Sacapeito, nas escolas D. João II, Alexandre Herculano, Mergulhão e Superior de Saúde, no Jardim de Cima, na estrada para a escola, na Urbanização Senhora da Guia, na Rotunda do Continente e junto à Câmara Municipal de Santarém.

A vereadora com o pelouro do Ambiente na Câmara Municipal de Santarém, Inês Barroso, considera que o resultado do estudo constitui um incentivo às políticas ambientais do município, garantindo que os bons resultados não irão demover a autarquia de continuar a trabalhar em prol da qualidade ambiental do município.

Juntamente com a apresentação dos resultados da qualidade do ar, a Equipa Multidisciplinar de Ação para a Sustentabilidade da Câmara de Santarém (EMAS) divulgou também os resultados de um inquérito à população sobre a adaptação às alterações climáticas.

O inquérito, lançado em julho, teve, até ao momento, a resposta de 159 munícipes, 82% dos quais deram o seu contributo nas juntas de freguesia e 16% online, onde o inquérito continua disponível.

A disponibilidade de água para consumo, as doenças respiratórias, as alterações nos ecossistemas, a existência de água para a agricultura e a diminuição da área florestal foram as principais preocupações manifestadas pelos participantes, que pedem um incremento das ações de informação, formação e sensibilização, da limpeza e conservação dos rios, da reflorestação, da aposta nas energias renováveis/eficiência energética e de reutilização da água.

CÂMARA PREMIADA COM CERTIFICADO AMBIENTAL

A Câmara de Santarém recebeu ainda neste dia um certificado da organização sem fins lucrativos CDP – Carbon Disclosure Project. O documento reconhece o trabalho do município por aumentar a transparência, reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e construir cidades sustentáveis para o futuro.

Estas ações estão inseridas na Semana Europeia da Mobilidade, em que no sábado, Dia Europeu Sem Carros, o Largo do Município será encerrado ao trânsito automóvel e haverá um passeio de pasteleiras, num gesto simbólico de sensibilização à redução do uso do automóvel.

santaremHDSprotestolimpeza

Os funcionários da empresa que assegura os serviços de limpeza no Hospital de Santarém deixaram de trabalhar pelas 7 horas da manhã desta terça-feira, 11 de setembro, em protesto contra os salários em atraso e outras irregularidades laborais.

“Além de mês e meio de salários em atraso, falta o pagamento dos subsídios de férias, não há um mapa de férias atualizado, sofremos ameaças de supervisores, e não são entregues os nossos descontos na Segurança Social desde março”, entre outras questões enumeradas à Rede Regional por Nélson Bonito, um dos cerca de 70 trabalhadores da Foamy Sparkle em protesto.

Segundo o mesmo, os funcionários de todos os turnos vão ficar parados até conseguirem um compromisso sério por parte da administração da empresa, ou ameaçam partir para três de greve.

“Nós temos tentado falar com o patrão, que não nos dá bola”, lamenta Nélson Bonito, explicando que a empresa “esteve sempre em atraso, ou seja, desde o início que paga fora de horas e nunca ouve as nossas reclamações”.

“O nosso protesto não é contra o hospital, é mesmo contra o patrão e contra esta situação que está a deixar muita gente em grandes dificuldades”, assegurou o mesmo.

Entre os trabalhadores, há vários casos dramáticos de quem não tem já dinheiro para o supermercado, ou pagar as contas fixas mensais, como é o caso da água, da luz ou do gás.

Alguns dos queixosos têm filhos em idade escolar e não sabem como vão fazer para comprar os livros, assim como há, entre os funcionários, quem tema perder o abono de família, uma vez que não são feitos descontos para a Segurança Social há quase seis meses.

Apesar de todas as contrariedades e do descontentamento generalizado, os funcionários garantem que esta luta é pela manutenção dos seus postos de trabalho, pois ninguém pretende ir para casa com o subsídio de desemprego.

A Rede Regional tentou por duas vezes o contato telefónico com a sede da empresa, em Sintra, mas ninguém atendeu o telefone.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis