app chamuscabanner festas coruche

Saúde

medico2

O Hospital Distrital de Santarém e o Centro Hospitalar do Médio Tejo, que engloba os hospitais de Abrantes, Torres Novas e Tomar, foram autorizados a contratar 44 novos médicos de diversas especialidades.

A autorização foi feita através do despacho 7140-D/2018, publicado esta quinta-feira, 26 de julho, com vista a abertura de procedimento concursal para celebração de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado ou de contrato individual de trabalho por tempo indeterminado.

No caso do Hospital de Santarém, serão contratados 22 novos médicos, divididos pelas seguintes especialidades: Medicina Interna (5); Psiquiatria (3); Cirurgia Geral, Gastrenterologia, e Ortopedia, todos com 2 novos profissionais; Anestesiologia, Cardiologia, Medicina Física e de Reabilitação, Neurologia, Oftalmologia, Oncologia, Pediatria Médica e Pneumologia, todos com um novo médico.

Já para o Centro Hospitalar do Médio Tejo, a distribuição destas vagas por especialidade é a seguinte: Medicina Interna (6); Cirurgia Geral, Pediatria e Psiquiatria (2 médicos para cada uma) e Anestesiologia, Cardiologia, Gastrenterologia, Ginecologia/Obstetrícia, Nefrologia, Oftalmologia, Oncologia Médica, Ortopedia, Radiologia e Urologia, com um novo médico cada.

Ao todo, vão ser contratados 856 novos médicos para os hospitais públicos portugueses.

vmer medio tejo

A Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Centro Hospitalar do Médio Tejo foi uma das que recebu um novo compressor cardíaco externo, equipamento que permite aplicar de forma automática, contínua e segura, compressões torácicas a doentes em paragem cardiorrespiratória, no local da ocorrência e durante o transporte até às unidades hospitalares.

A utilização deste equipamento possibilita a realização de compressões torácicas mais eficazes, evitando a fadiga, inconsistências e pausas normalmente associadas às compressões torácicas quando realizadas manualmente, ao mesmo tempo que liberta os profissionais de saúde para a realização de intervenções diferenciadas necessárias nestes doentes.

Ao todo, foram distribuídos um total de 37 compressores cardíacos externos a VMER's e Helicópteros de Emergência Médica.

hospital abrantes

O Movimento de Utentes dos Serviços Públicos (MUSP) do Médio Tejo exigiu esta quarta-feira, 26 de julho, maior qualidade no serviço de urgência dos hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas e defendeu a abolição de portagens na A23 e A13.

Criticando a concentração da urgência na unidade hospitalar de Abrantes, o que "obriga à deslocação da população de toda a região para aquele hospital", os utentes defendem que a existência "de urgência médico-cirúrgica nas três unidades rentabiliza a prestação de cuidados e é uma mais valia para toda a população".

O MUSP recolheu 10 mil assinaturas em todos os concelhos do Médio Tejo pelo avanço das obras de requalificação da urgência em Abrantes e pelo reforço desse serviço nas urgências básicas de Tomar e Torres Novas, para um serviço de proximidade e aumento da qualidade da prestação dos cuidados de saúde.

As Comissões de Utentes do Médio Tejo lançaram também em junho um outro abaixo-assinado reivindicando a abolição de portagens na A23 e A13, e que foi subscrito ao longo daquele mês por 12 mil pessoas.

Os documentos vão ser enviados ao primeiro-ministro e dele será dado conhecimento aos Ministros da Saúde e das Finanças, aos Grupos Parlamentares e Autarquias do Médio Tejo.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis