chamusca apptagus

Saúde

vmer1

O Hospital Distrital de Santarém e o Centro Hospitalar do Médio Tejo (que reúne as unidades de Abrantes, Tomar e Torres Novas) vão receber novas Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER).

A garantia chegou esta quinta-feira, 20 de abril, num despacho conjunto assinado pelos secretários de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Manuel Ferreira Araújo, e da Saúde, Manuel Martins dos Santos Delgado.

O documento, a que a Rede Regional teve acesso, foi assinado no dia 12 deste mês, e refere que "em função da gravidade evidenciada pelo relatório «Situação atual da frota VMER» (...) pretende-se imprimir maior dinamismo, flexibilidade e eficiência a este sistema, de modo a proceder à renovação da restante frota de VMER.

A aquisição das viaturas vai ser feita diretamente pelos hospitais, cabendo a estes todas as componentes da sua gestão e manutenção, sendo que ao INEM compete a definição dos requisitos técnicos das VMER.

A propriedade da VMER será dos hospitais, que deverão assegurar a sua manutenção e estado de operacionalidade permanente, incluindo a contratação de seguros que garantam a substituição da viatura em caso de acidente com perda total.

Ao todo serão adquiridas 24 viaturas, sendo que a aquisição será realizada no prazo máximo de 60 dias úteis a contar da data de publicação do despacho (hoje), através de procedimento pré-contratual legalmente previsto.

A lista anexa ao despacho hoje publicado identifica como destinatários das VMER as seguintes entidades:

1 - Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga, E. P. E.

2 - Centro Hospitalar do Médio Ave, E. P. E.

3 - Hospital de Santa Maria Maior, E. P. E.

4 - Hospital Senhora de Oliveira - Guimarães, E. P. E.

5 - Hospital de Braga.

6 - Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, E. P. E.

7 - Unidade Local de Saúde do Alto Minho, E. P. E.

8 - Centro Hospitalar do Baixo Vouga, E. P. E.

9 - Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, E. P. E.

10 - Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, E. P. E. - Hospital Geral de Coimbra (Covões).

11 - Hospital Distrital da Figueira Foz, E. P. E.

12 - Centro Hospitalar do Oeste - Hospital Distrital Caldas da Rainha.

13 - Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, E. P. E.

14 - Hospital do Espírito Santo de Évora, E. P. E.

15 - Centro Hospitalar do Oeste - Hospital Distrital Torres Vedras.

16 - Hospital Beatriz Ângelo.

17 - Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano, E. P. E.

18 - Centro Hospitalar do Médio Tejo, E. P. E.

19 - Hospital Distrital de Santarém, E. P. E.

20 - Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano, E. P. E.

21 - Hospital Professor Doutor Fernando da Fonseca, E. P. E.

22 - Centro Hospitalar Barreiro Montijo, E. P. E.

23 - Centro de Saúde de Albufeira.

24 - Centro Hospitalar do Algarve, E. P. E. - Unidade Hospitalar de Portimão.

usf sao domingos

O Comité de Certificação do Departamento da Qualidade na Saúde, revalidou a certificação no nível bom à Unidade de Saúde Familiar (USF) D.Sancho I, em Pontével (Cartaxo), e concedendo igual certificação à Unidade de Saúde Familiar S.Domingos, em Santarém.

“Coordenada pela Drª Helena Fernandes, a USF D. Sancho I obteve a certificação inicial em junho de 2015, tendo inserido a informação requerida para Avaliação de Acompanhamento, a qual foi realizada  no passado dia 4 de abril de 2017”, informa o Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria.

Já a USF S.Domingos, coordenada pela Drª Rosa Feliciano, “realizou o processo de certificação em conformidade com as especificações e critérios estabelecidos no Manual de Standards de Unidades de Gestão Clínica de Cuidados de Saúde Primários, sendo que inicia agora, um período de Autoavaliação de Acompanhamento, desenvolvendo atuações que lhe permitirão implementar as áreas de melhoria detetadas durante as fases do processo de certificação, bem como, estabilizar os parâmetros considerados como cumpridos”.

alpiarcacentrosaude

O centro de saúde de Alpiarça tem uma nova médica de família, que entrou em funções no passado dia 10 de abril para substituir de forma permanente a médica de nacionalidade cubana que garantiu este serviço nos últimos dois anos.

A população da vila reclamava há vários anos a colocação de mais clínicos no centro, tendo em conta as dificuldades em arranjar consultas ou garantir a prescrição de receitas médicas.

Segundo a Câmara de Alpiarça, existem, neste momento, quase 1.000 utentes sem médico de família atribuído, o que coloca o município numa situação menos grave do que outros concelhos vizinhos da Lezíria do Tejo.

“Tal situação não deixa de exigir a mobilização da Câmara, assumindo o sentido do sentimento da sua população e das estruturas que representam os utentes, para continuar a ser mantida a exigência ao Governo e Ministério da Saúde da colocação de mais um médico que garanta a cobertura a todos os alpiarcenses”, explica a autarquia em comunicado.

Para atendimento dos utentes que ainda não têm médico de família atribuído, estão a ser realizadas consultas de reforço às quartas-feiras à tarde e às quintas de manhã.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões