app chamuscabanner festas coruche

Saúde

medico consulta

O Hospital de Santarém foi autorizado a contratar 60 novos trabalhadores, entre os quais 27 enfermeiros e oito médicos, para fazer face à redução do horário semanal para as 35 horas e a ausências temporárias.

Dos 27 enfermeiros, 18 serão contratados com contratos sem termo e nove com contratos de substituição de trabalhadores ausentes temporariamente. Já os médicos internos serão contratados para diversas especialidades, sendo seis de medicina interna.

As contratações complementam-se com 17 assistentes operacionais, fundamentalmente para os serviços de Urgências e Internamento; 7 técnicos para a área dos Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica (três para o setor de análises clínicas e saúde pública, três para imagiologia e um para eletrocardiografia) e 1assistente técnico.

Estas contratações fazem parte da primeira fase dos ajustamentos necessários para a harmonização resultante da redução do horário semanal de 40 para 35 horas, mas a administração afirma esperar que, de acordo com informação ministro da Saúde, ocorra oportunamente uma ação da mesma natureza, que permita respostas a outras necessidades evidenciadas.

Médio Tejo recebe 46

O Centro Hospitalar do Médio Tejo também viu autorizada pela tutela a contratação de 46 novos profissionais de saúde. Destes 46 novos profissionais estão já em funções 19 Enfermeiros e 16 Assistentes Operacionais, que foram acolhidos a semana passada, a 6 de julho, tendo entrado no ativo esta segunda-feira, dia 9.

Durante esta semana serão ainda desenvolvidos os procedimentos de contratação de cinco Assistentes Técnicos, dois Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica em Radiologia, três Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica em Patologia e um Técnico de Diagnóstico e Terapêutica em Farmácia.

hospital abrantes

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros alertou esta segunda-feira, 9 de julho, para a “grande insegurança” na prestação de cuidados em serviços do hospital de Abrantes, em particular nas Urgências, onde encontrou um único enfermeiro para três salas e o corredor.

Em declarações à agência Lusa, após uma reunião com o presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), Carlos Andrade Costa, a enfermeira diretora, Ana Paula Eusébio, e o presidente do conselho diretivo da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Pisco, Ana Rita Cavaco explicou que a reunião aconteceu em Abrantes porque a situação na Urgência deste hospital “é muito difícil” pela falta de enfermeiros, “com uma grande insegurança na prestação de cuidados”, situação que teve oportunidade de confirmar.

Nas mesmas declarações, a bastonária sublinhou o facto de se ter iniciado ontem nas Urgências de Abrantes a integração de 16 dos 19 enfermeiros que o CHMT foi autorizado a contratar dos 58 solicitados para cobrir a passagem dos horários de trabalho para as 35 horas semanais.

Na Cardiologia, onde se encontram dez doentes monitorizados, só existe um enfermeiro à noite, “uma situação também de rácios muito inseguros”, disse, adiantando que na Medicina 2 metade da equipa está de baixa, o que revela o “ponto de exaustão” dos profissionais.

“É um hospital que está permanentemente com as equipas nos mínimos e abaixo dos mínimos, em número de enfermeiros”, afirmou ainda à Lusa.

doente hds

Mesmo tendo consciência que poucas esperanças de vida lhe restam, uma doente oncológica em fase terminal partilhou um vídeo amador onde apela para não a deixarem morrer, pedindo, quase em desespero, para experimentar terapias alternativas.

No vídeo, que se tornou viral no Facebook e a meio da tarde desta sexta-feira, 6 de julho, vai a caminho das 700 mil visualizações, a mulher, Ascensão Duarte, explica que no Hospital de Santarém, onde está internada, foi já tomada a decisão de lhe suspender os tratamentos, estando apenas a aguardar a morte.

Contatado pela Rede Regional, o conselho de administração do Hospital começa por lamentar o drama humano vivido pela mulher, e garante que “nada foi negado à doente que não lhe fosse apropriado”, e que a mesma teve “todos os cuidados e recursos que o seu quadro clínico exigiu”.

Segundo conseguimos apurar, a decisão de suspender a quimioterapia e a radioterapia foi tomada por uma equipa multidisciplinar de vários médicos que acompanhavam o caso, porque o corpo da mulher chegou ao limite do que podia aguentar, sem uma evolução clínica favorável.

Ascensão Duarte, de 39 anos, padece de um cancro nos pulmões que evoluiu de forma galopante, com metástases nos ossos, medula e outros órgãos vitais.

“Como sempre, vamos aos limites na defesa da vida e da qualidade de vida”, afirma o Conselho de Administração do Hospital de Santarém, garantindo ainda que, caso seja encontrada uma terapêutica viável, ela será seguida.

Natural de Torres Novas, Ascensão Duarte é mãe de dois filhos e reside no Cartaxo.

O vídeo amador foi filmado e colocado no Facebook pela companheira de quarto de Ascensão Duarte, que se sensibilizou com o caso.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis