chamusca appTecfresh17

Saúde

santaremredemedicamento

A Câmara Municipal de Santarém aderiu à “Rede Solidária do Medicamento”, um programa que tem como objetivo garantir o acesso aos medicamentos por parte de cidadãos em situação de carência económica ou impedidos de adquirir os medicamentos prescritos  por receita médica.

O protocolo com a Associação Dignitude, entidade que gere o programa, foi assinado na tarde desta quarta-feira, 2 de agosto, no salão nobre dos paços do concelho.

Para a implementação da rede do medicamento, o município vai dar, neste primeiro ano, um contributo financeiro de 100 euros por cada beneficiário identificado, num total de 200 pessoas carenciadas, o que ascende a uma soma de 20 mil euros.

A grande maioria dos beneficiários deste programa já estão sinalizados pelo Centro Local de Ação Social de Santarém (CLASS), pela Divisão de Ação Social e Saúde (DASS) da Câmara de Santarém, pelas equipas da Rede Local de Intervenção Social (RLIS) de Santarém e de Pernes, e pelas equipas do Rendimento Social de Inserção (RSI).

CHMTneurologia

O serviço de neurologia do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) passou a abranger os três hospitais que o compõem, após a contratação de uma nova especialista, no início de 2017, e de um neuropsicólogo, em julho.

Pedro Borges já estava no CHMT em regime de prestação de serviços, mas o atual conselho de administração propôs-lhe que ingressasse nos quadros de forma a consolidar o seu desempenho clínico.

A sua entrada, segundo uma nota de imprensa do CHMT, “possibilitou mais horas ao serviço e um maior apoio, nomeadamente, na consulta de memória”.

O serviço de neurologia presta também apoio aos restantes serviços do centro hospitalar, incluindo o serviço de urgência, com a presença da nova especialista, Ana Luísa Massano, que está mais em Abrantes.

A médica Isabel Ambrósio, que está mais na unidade de Torres Novas, é a diretora do serviço de neurologia, que passou semanalmente a fazer consulta na em Tomar.

No ano de 2016, Isabel Ambrósio, que era a única neurologista no CHMT, viu, em consulta, mais de 1900 doentes, segundo a mesma nota.

hospital abrantes

As obras de requalificação das urgências do Hospital de Abrantes só deverão avançar em março do próprio ano. A informação é avançada pelos representantes das estruturas de utentes do Médio Tejo, que reuniram no dia 6 de julho com o Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo.

Nesta reunião, onde se debateu a prestação de cuidados hospitalares foi ainda informado pelos responsáveis hospitalares que o novo equipamento de Tomografia Axial Computadorizada (TAC) só deverá ser instalado no Hospital de Tomar próximo do final do ano.

Segundo os utentes, o principal problema do Centro Hospitalar do Médio Tejo é a falta médicos. "Só 141, nos quadros. Apenas meia dúzia, ingressaram ao abrigo incentivos zonas carenciadas. Daí o recurso elevado a tarefeiros", referem, em comunicado.

Destaque ainda para o facto de, no primeiro trimestre deste ano, o tempo de espera para consultas e cirurgias ter baixado, ao mesmo tempo que aumentaram as cirurgias e consultas.

Futebol: Jogo Coruchense x Mondenense | Fotos: João Dinis