chamusca appcoruche sabores-tasquinhas

Saúde

unidade-movel rastreio 

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Lezíria do Tejo vai ter, a partir desta terça-feira, 3 de abril, uma Unidade Móvel de Radiorrastreio (UMR) preparada para rastrear os mais de 200 mil utentes da região.

Esta viatura, pertencente à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), foi adquirida com fundos europeus, no valor de 685 mil euros, e vai rastrear prioritariamente a população-alvo do ACES.

Segundo uma nota de imprensa da ARSLVT, esta UMR está dotada de equipamento de Radiologia Convencional Digital Direto e é a mais sofisticada do país, possuindo a melhor tecnologia de ponta da Europa. Permite uma maior acuidade e mais rápida assunção dos diagnósticos, o que permite antecipar o início da terapêutica e a monitorização, bem como reduzir o risco da doença e a sua eventual transmissão.

Com este equipamentoo, o raio-x é gerado imediatamente após a realização do exame e enviado em suporte digital para o radiologista e médicos do Centro de Diagnóstico Pneumológico. Posteriormente é remetido para o clínico que acompanha o utente, quer seja médico de família ou de outra especialidade.

A inauguração da Unidade Móvel de Radiorrastreio vai ser inaugurada esta terça-feira, pelas 15h00, pelo Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, numa cerimónia a realizar no Centro de Saúde de Almeirim.

A cerimónia contempla ainda a entrega de seis viaturas ao ACES Lezíria, que ficarão alocadas às unidades de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) de Almeirim e Santarém, às unidades de Saúde Familiar (USF) Alviela, Almeida Garrett, Planalto, S. Domingos, Foral Novo e Vale do Sorraia, à Equipa Comunitária de Cuidados Paliativos e da Equipa de Saúde Pública do ACES Lezíria, e às unidades de Cuidados Continuados (UCC) Almeirim/Alpiarça e de Salvaterra de Magos. O total da população potencialmente atingida por estas viaturas é superior a 150 mil e também aqui as viaturas foram financiadas por fundos europeus, no valor de 150 mil euros.

A visita do Secretário de Estado Adjunto e da Saúde ao ACES Lezíria terminará com a ida ao Centro de Saúde de Alpiarça, onde irá inaugurar a Unidade de Saúde Familiar com o nome da localidade.

A USF Alpiarça começou a funcionar em dezembro de 2017 em instalações renovadas e possui 6.742 utentes inscritos, distribuídos pelas listas de quatro médicos de família. A equipa completa-se com quatro enfermeiras três assistentes técnicas e duas assistentes operacionais. 

abrantesUSFviatura

A Câmara Municipal de Abrantes entregou uma viatura à Unidade Saúde Familiar (USF) D. Francisco de Almeida, para apoio às visitas domiciliárias e realização de ações de promoção da saúde junto dos grupos vulneráveis e de risco.

A viatura, que custou cerca de 24 mil euros, foi entregue aos profissionais de saúde no passado dia 28 de março, tendo sido também assinado o protocolo de cedência da sua utilização com a Administração de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

Não sendo uma competência sua, “a autarquia assumiu mais este investimento, incluindo o seguro e os encargos com a inspeção periódica do veículo, para prestar um serviço à população e contribuir para minimizar as lacunas em matéria de prestação de cuidados de proximidade na área da saúde”, salienta uma nota de imprensa da Câmara de Abrantes.

Maria do Céu Albuquerque, a presidente da Câmara, anunciou, “em colaboração com os profissionais de saúde”, que “trabalhará para criar as melhores condições no sentido de reorganizar o transporte a pedido no concelho de Abrantes, facilitando a deslocação dos utentes às diversas unidades de saúde e hospital”, salienta a mesma nota.

A Estação Zootécnica Nacional (EZN), situada no Vale de Santarém, tem aprovados 20 projetos de investigação, com um cofinanciamento de perto de dois milhões de euros, que permitem retomar a dinâmica que fez deste polo referência na investigação em produção animal.

A notícia é da agência Lusa, que cita Olga Moreira, coordenadora do Polo de Santarém do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV), que recentemente recuperou o nome da EZN, pelo qual ainda é conhecido na região.

De acordo com a mesma fonte, investigadores da EZN estão a trabalhar em projetos como a utilização de larvas de mosca soldado negro para a valorização de resíduos da agricultura; a substituição de cereais por subprodutos das agroindústrias na formulação de dietas para a engorda de borregos e de bovinos produzindo carne de qualidade diferenciada, entre outros.

Frisando que estes projetos financiam a investigação mas não permitem investimentos estruturais, Olga Moreira referiu à Lusa a importância da recuperação das infraestruturas da Fonte Boa, só possível com um “projeto estruturante” como o Centro de Excelência para a Agricultura e a Agroindústria.

A EZN é a única infraestrutura do país vocacionada para a investigação e experimentação nas áreas de sistemas de produção, reprodução e melhoramento animal.

Cerimónia de Apresentação Santarém Cup 2018