chamusca princepezinhocms banner carnaval

santaremvirgiliocanaverde

Um doente oncológico que devia ser operado ainda em 2018 viu a sua cirurgia ser adiada sem data “por causa da greve dos enfermeiros. Foi essa a justificação que o Hospital de Santa Maria me deu”, disse à Rede Regional Virgílio Canaverde, de 63 anos, a quem foi diagnosticado cancro na próstata e nos rins há poucos meses.

O médico que o segue na unidade hospitalar lisboeta mandou-o realizar vários exames complementares com urgência, alguns deles em clínicas privadas, explicando-lhe que o problema oncológico teria que ser atacado nesta fase inicial, e que o iria operar até ao final do ano.

“Na última consulta, disse-me que a cirurgia teria que ser adiada por causa da greve dos enfermeiros. Eu nem queria acreditar”, explica o queixoso.

Virgílio Canaverde e a família, residentes em Santarém, têm contatado o Hospital no sentido de perceber como será resolvido o problema, mas “até agora, só dizem que não sabem”, explica o utente, que é também doente renal e faz hemodiálise.

“Não se pode brincar assim com a vida das pessoas”, afirma Virgílio Canaverde, que diz sentir-se “revoltado com o mau funcionamento do Serviço Nacional de Saúde”.

Enfermeiros recusam ser “bodes expiatórios”

A Rede Regional solicitou esclarecimentos por escrito sobre este caso ao Centro Hospitalar Lisboa Norte, responsável pela gestão do Hospital de Santa Maria, que não deu qualquer resposta.

Também contatado pela Rede Regional, Carlos Ramalho, do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal, esclarece que “mesmo em greve, os enfermeiros garantiram sempre a realização de todas as cirurgias urgentes”, pelo que se desmarca da justificação dada ao paciente pelo hospital.

No caso do Santa Maria, segundo o mesmo, estão a funcionar em permanência três salas “para assegurar todas as cirurgias prioritárias. Sabemos que os tempos operatórios não estão a ser aproveitados na sua totalidade, mas isso não se deve à greve dos enfermeiros, que está a servir de bode expiatório para outras situações”.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves