chamusca pinoquiomicromineiro slide

qualidade ar

A qualidade do ar em Santarém é boa mas há espaço para melhorar, sobretudo reduzindo as emissões de gases poluentes dos veículos automóveis. A conclusão é do Relatório da Monitorização da Qualidade do Ar na cidade de Santarém, que foi apresentado esta quinta-feira, 20 de setembro, no edifício dos Paços do Concelho.

O estudo foi feito em 15 locais da cidade, com recolha de dados em duas ocasiões distintas: uma entre 4 e 11 de junho, no final do ano lectivo, e outra entre 25 de junho e 2 de julho, já em período de férias escolares dos alunos.

E os dados não enganam, no período escolar, com maior circulação automóvel, os níveis de óxidos de azoto foram, em média, 20% mais elevados e, no caso do ozono, o aumento foi de cerca de 30%.

Daniel Afonso, da empresa que realizou o estudo, revelou que os transportes são a principal fonte poluidora, salientando a importância da redução das emissões de gases poluentes na redução da poluição atmosférica.

As medições foram feitas junto ao Convento de Santa Clara, à Escola Secundária Sá da Bandeira, na Estrada Militar (São Bento), em Vale de Estacas, nos centros escolares Salgueiro Maia e Sacapeito, nas escolas D. João II, Alexandre Herculano, Mergulhão e Superior de Saúde, no Jardim de Cima, na estrada para a escola, na Urbanização Senhora da Guia, na Rotunda do Continente e junto à Câmara Municipal de Santarém.

A vereadora com o pelouro do Ambiente na Câmara Municipal de Santarém, Inês Barroso, considera que o resultado do estudo constitui um incentivo às políticas ambientais do município, garantindo que os bons resultados não irão demover a autarquia de continuar a trabalhar em prol da qualidade ambiental do município.

Juntamente com a apresentação dos resultados da qualidade do ar, a Equipa Multidisciplinar de Ação para a Sustentabilidade da Câmara de Santarém (EMAS) divulgou também os resultados de um inquérito à população sobre a adaptação às alterações climáticas.

O inquérito, lançado em julho, teve, até ao momento, a resposta de 159 munícipes, 82% dos quais deram o seu contributo nas juntas de freguesia e 16% online, onde o inquérito continua disponível.

A disponibilidade de água para consumo, as doenças respiratórias, as alterações nos ecossistemas, a existência de água para a agricultura e a diminuição da área florestal foram as principais preocupações manifestadas pelos participantes, que pedem um incremento das ações de informação, formação e sensibilização, da limpeza e conservação dos rios, da reflorestação, da aposta nas energias renováveis/eficiência energética e de reutilização da água.

CÂMARA PREMIADA COM CERTIFICADO AMBIENTAL

A Câmara de Santarém recebeu ainda neste dia um certificado da organização sem fins lucrativos CDP – Carbon Disclosure Project. O documento reconhece o trabalho do município por aumentar a transparência, reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e construir cidades sustentáveis para o futuro.

Estas ações estão inseridas na Semana Europeia da Mobilidade, em que no sábado, Dia Europeu Sem Carros, o Largo do Município será encerrado ao trânsito automóvel e haverá um passeio de pasteleiras, num gesto simbólico de sensibilização à redução do uso do automóvel.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves