chamusca pinoquioavisan2017

santaremHospitalmedicamentos

Duarte Marques, deputado do PSD eleito pelo círculo de Santarém, acusou o atual de Governo de “andar a brincar com a saúde”, ao detetar um corte na despesa em medicamentos que ronda, em média, os 80% no Hospital de Santarém e no Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT).

Segundo números divulgados pelo próprio Duarte Marques, o Orçamento de Estado para 2018 prevê “um corte de 18% nas despesas totais, 85% na despesa com medicamentos e 56% em material de consumo clínico” no Hospital de Santarém, face ao contrato-programa de 2017.

No que diz respeito ao CHMT, há um corte de quase 80% nos medicamentos e 77% em material de consumo clínico, segundo o mesmo, para quem “isto só pode ser mentira”.

Duarte Marques questionou diretamente o ministro da Saúde no debate do OE2018 na especialidade, tendo Adalberto Campos Ferreira respondido que reforçará estas verbas caso seja necessário, e que o grosso do orçamento está centralizada nos serviços do Ministério da Saúde.

“Mas então para que serve este orçamento que aqui discutimos? É um orçamento irrealista, de farsa, e que até parece mentira”, questionou de seguida o deputado social democrata.

Duarte Marques considerou ainda que, por um lado, este modelo de gestão “viola as regras democráticas, a transparência e fiscalização”, e, por outro, revela “total falta de confiança nas administrações dos hospitais, que são relegadas para meros notários das decisões do ministro”.

Futebol: Jogo Coruchense x Mondenense | Fotos: João Dinis