chamusca appmicromineiro keepcalm

Politica

en3 nicho tn

A Câmara da Torres Novas tem a decorrer um procedimento de ajuste direto para elaboração do projeto de execução da requalificação da EN3 no troço entre a rotunda do nicho de riachos e o limite do concelho do Entroncamento.

A obra, com uma estimativa de custo para a elaboração do projeto de 30.000,00 euros (+ IVA), tornou-se mais ncessária após a introdução de portagens na A23 que levou à intensificação do tráfego diário no troço da EN3 entre a Barreira Alva e o limite do concelho do Entroncamento.

“Esta situação tem acelerado a degradação do pavimento que ocasiona desconforto na condução e, também, danos materiais aos veículos, encontrando-se as bermas muito rebaixadas em algumas zonas”, refere a autarquia.

A obra deverá incluir trabalhos de reforço de pavimentação, assim como outras intervenções complementares – saneamentos de solos, drenagem superficial e subterrânea, sinalização horizontal e vertical e outros trabalhos acessórios.

 

tomarboavidaetenreiro

“Acreditar em Tomar” é o nome que o PSD escolheu para a sua candidatura às próximas eleições autárquicas no concelho, e que vai ser apresentada no próximo sábado, 18 de fevereiro, às 15 horas, no auditório da biblioteca municipal.

Tal como já tinha sido anunciado pela concelhia social-democrata, o cabeça de lista à Câmara de Tomar será Luís Filipe Boavida, ao passo que João Tenreiro será o número um à Assembleia Municipal.

A sessão vai contar com a presença do líder da bancada parlamentar do PSD, Luís Montenegro, entre outros dirigentes e autarcas.

tejopoluicao

Os deputados do PSD eleitos pelo círculo de Santarém querem que o Ministério do Ambiente indique quais os pontos de recolha de amostragem da poluição nas águas no rio Tejo, a frequência da recolha, e os parâmetros analisados no âmbito da fiscalização.

O requerimento entregue na Assembleia da República pelos social-democratas surge na sequência da denuncia do movimento proTEJO em relação à Agência Portuguesa do Ambiente (APA), que estará, alegadamente, a recolher amostras em locais estranhos e que não são verdadeiramente representativos da poluição que afeta o rio.

Além do caso do técnico da APA já exposto pela Rede Regional (LER AQUI), os deputados do PSD fazem eco da denuncia de um investigador do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE), Filipe Ribeira, que diz ter testemunhado uma recolha efetuada na praia fluvial de Ortiga, concelho de Mação, onde desagua uma ribeira "limpíssima", quando o curso principal do Tejo passa junto à barragem de Belver, local onde deveriam ser recolhidas as amostras.

Uma vez que as denuncias não mereceram qualquer desmentido por parte da APA, “tal pode significar que a realidade das análises da água do rio pode estar enviesada à partida pelo próprio processo de fiscalização”, sublinham os eleitos do PSD, para quem “uma monitorização ambiental competente e séria é essencial não só para conhecer melhor a realidade, como também as ameaças a que a mesma pode estar sujeita”.

 “A verdade é que a situação aparente do curso de água do Tejo, verificável a «olho nu», parece ser sempre pior do que os dados das análises divulgadas permitem aferir”, concluem ainda os deputados Duarte Marques, Nuno Serra e Teresa Leal Coelho.

Desert Challenge 2017