chamusca bibliotecatecfresh2018 slide

Politica

 duarte serra

Os deputados do PSD Nuno Serra e Duarte Marques, eleitos pelo distrito de Santarém, estão preocupados com o que dizem ser a falta de investimento e o fracasso da descentralização.

Os dois eleitos estiveram reunidos na sexta-feira, 28 de setembro, com o presidente do Conselho da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, Pedro Ribeiro, que é também presidente da Câmara de Almeirim, e com o secretário executivo da mesma entidade, António Torres, para preparar a discussão do próximo Orçamento de Estado, o Plano Nacional de Investimentos, a Descentralização e o próximo PT2030, e não escondem que saem preocupados face ao ambiente de “expectativas frustradas com o processo de descentralização”.

Duarte Marques e Nuno Serra salientam a grande ambição desta comunidade intermunicipal em assumir cada vez maiores responsabilidades, destacam “a união que existe em termos de prioridade ao investimento público no distrito”, mas ficaram com a forte convicção que os autarcas da região, caso se confirmem as condições já anunciadas pelo Governo, “só aceitarão participar quando for obrigatório” .

Relativamente ao Orçamento de Estado para 2019, os Deputados do PSD ouviram as preocupações da Comunidade Intermunicipal, discutiram algumas iniciativas em preparação e comprometeram-se a levar à Assembleia da República várias das preocupações reveladas.

No que diz respeito ao PT2030, os deputados do PSD ouviram com particular atenção as prioridades reveladas para o Plano Nacional de Investimentos, mas também com a manutenção das infraestruturas existentes na região que foram construídas com fundos comunitários bem como a necessidade de investir nos caminhos rurais e obras de arte de acesso às propriedades agrícolas construídas há décadas para circularem carroças e onde hoje passam centenas de camiões de uma indústria exportadora e altamente produtiva desta região da Lezíria.

Os deputados do PSD destacam ainda "o importante consenso existente em torno do investimento em infraestruturas prioritárias que unem as diferentes forças políticas no distrito".

É o caso da conclusão da A13 na sua ligação ao Eco Parque do Relvão na Chamusca (ligação IC3), os melhoramentos na EN361 e na EN362, a ligação entre o IC9 e a A1, o investimento na requalificação da ferrovia na linha do Norte, a valorização do polígono militar de Tancos e em particular da pista de aviação, e ainda a recuperação da Ponte Rainha D. Amélia.

santaremcadernoreivindicacoes

A Câmara Municipal de Santarém vai entregar ao governo um caderno de reivindicações dos investimentos prioritários a incluir “Plano Nacional de Investimentos 2030” (PNI2030), o documento estruturante em termos da distribuição de fundos da União Europeia na próxima década.

Um por um, o caderno discrimina todos os projetos que a Câmara considera prioritários para o desenvolvimento do concelho, num documento que mereceu a concordância e foi subscrito por todas as forças políticas representadas na Assembleia Municipal de Santarém.

Trata-se, segundo o município, de um caderno reivindicativo escrito “em uníssono, espartilhado de ideologias ou opções partidárias, que representa as reais necessidades e anseios do concelho de Santarém”.

O documento contém um total de 35 propostas, divididas em três grandes áreas, os “transportes e mobilidade” (22 propostas), “ação climática” (11), e “energia” (2).

Dentro dos “transportes e mobilidade”, que é também um dos pilares estruturantes do PNI 2030, encontram-se algumas das mais antigas reivindicações dos últimos executivos camarários, casos da conclusão do IC10 na ligação da Ponte Salgueiro Maia à A1, a variante à EN3 entre o Vale de Santarém e o Cartaxo, o desvio da Linha do Norte e o Centro Intermodal na Portela das Padeiras, e a requalificação de quase todas as estradas nacionais que atravessam o concelho, entre vários outros que tardam em ser concretizados.

Estrutura sobretudo no que diz respeito ao rio Tejo, das propostas do separador “ação climática” destacam-se a recuperação da aldeia ribeirinha das Caneiras, que inclui também a criação de um corredor azul e de um cais flutuante para embarcações, a criação de um Centro Criativo para a Literacia Ambiental do Património Natural do rio Tejo em Santarém, e a Estratégia para a Sustentabilidade da Atividade Pecuária, que prevê a construção de espaços específicos para a instalação e relocalização de pecuárias e agroindústrias, na lógica da economia circular.

No que diz respeito à “energia”, as duas propostas relacionam-se com o aumento do número de postos de carregamento para veículos elétricos.

hospital santarem-2018

A Comissão Política de Secção de Santarém do PSD "lamenta profundamente o desinteresse demonstrado pelo Ministério da Saúde na resolução dos problemas que afetam o Hospital Distrital de Santarém".

Em comunicado, a estrutura social democrata de Santarém considera que "não é aceitável que as obras do Bloco Operatório continuem paradas, que não existam meios financeiros para serviços essenciais de gestão corrente do hospital e que o Governo, conhecedor e responsável pela situação, permaneça sem medidas concretas para questões emergentes que diminuem a funcionalidade desta importante instituição prestadora de cuidados de saúde".

Expectantes que a ação do novo Conselho de Administração pudesse trazer melhorias ao hospital, os elementos da concelhia de Santarém do PSD dizem-se agora desiludidos porque "evidencia-se a incapacidade para alterar a situação, culminando numa recente entrevista da Presidente do Conselho de Administração [ao jornal Rede Regional], em que admite que «esta situação de impasse no que respeita aos contratos não é suportável por muito tempo, e coloca já em risco o desempenho do HDS no que respeita às condições assistenciais que presta à população que serve»".

"Não podemos ficar indiferentes quando o Governo não atende, com urgência, aos reais e prioritários problemas da população, preferindo prosseguir com política de desorçamentação na saúde, não cuidando de assegurar que as unidades de prestação de cuidados de saúde hospitalar tenham as verbas necessárias para a liquidação de dividas e para o seu funcionamento normal e regular", refere ainda o comunicado do PSD, acrescentando que o partido continua a aguardar marcação de reunião já solicitada ao Conselho de Administração do HDS.

Numa referência às críticas do PS, CDU e BE à construção de um hospital privado na cidade, a concelhia do PSD condena "as atitudes de alguns partidos de esquerda, que, perante um problema de elevada gravidade – falta de financiamento da saúde e do SNS – no nosso hospital, vêm desviar as atenções atacando os investimentos privados em curso em Santarém".

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis