chamuscal apartilhatecfresh2018 slide

 a23 portagens

O partido ecologista “Os Verdes” entregaram um projeto de resolução na Assembleia da República onde recomendam ao Governo que considere a abolição das portagens na A23 – Autoestrada da Beira Interior, uma vez que não existem alternativas viáveis, seja a nível rodoviário ou ferroviário, a esta via.

O partido lembra que, em muitos lances, a autoestrada foi construída sobre anteriores vias, tornando-se inevitável a sua utilização, e em outros troços a alternativa às portagens obriga a transitar pelo interior das povoações ou por estradas sem o mínimo de condições para a circulação.

“A aplicação de portagens na A23 há sete anos atrás, não só, se constituiu numa enorme injustiça como trouxe consequências profundamente negativas para as populações e para o tecido económico desta região, tratando-se de uma dupla discriminação”, refere o documento apresentado no Parlamento.

Os Verdes lembram ainda que “a ligação entre a Guarda (A25) e Torres Novas (A1) pela A23 tem uma extensão de cerca de 217 km, demorando cerca de duas horas para percorrer esta distância, enquanto por vias secundárias para além do percurso ser mais extenso, os utilizadores demoram pelo menos mais duas horas, ou seja, o tempo despendido nunca é inferior a 4 horas”.

“Num momento em que tanto se apela às medidas de diferenciação positiva para o interior do país, de forma a travar o definhamento do tecido produtivo e do despovoamento, os agentes económicos, as autarquias locais e demais população servida pela A23, consideram que as portagens aplicadas em 2011 há muito deveriam ser abolidas de forma a garantir a acessibilidade e mobilidade das pessoas, mas também das mercadorias e o apoio ao desenvolvimento regional”, diz ainda o texto dos Verdes.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves