chamusca pinoquiomicromineiro slide

santaremcadernoreivindicacoes

A Câmara Municipal de Santarém vai entregar ao governo um caderno de reivindicações dos investimentos prioritários a incluir “Plano Nacional de Investimentos 2030” (PNI2030), o documento estruturante em termos da distribuição de fundos da União Europeia na próxima década.

Um por um, o caderno discrimina todos os projetos que a Câmara considera prioritários para o desenvolvimento do concelho, num documento que mereceu a concordância e foi subscrito por todas as forças políticas representadas na Assembleia Municipal de Santarém.

Trata-se, segundo o município, de um caderno reivindicativo escrito “em uníssono, espartilhado de ideologias ou opções partidárias, que representa as reais necessidades e anseios do concelho de Santarém”.

O documento contém um total de 35 propostas, divididas em três grandes áreas, os “transportes e mobilidade” (22 propostas), “ação climática” (11), e “energia” (2).

Dentro dos “transportes e mobilidade”, que é também um dos pilares estruturantes do PNI 2030, encontram-se algumas das mais antigas reivindicações dos últimos executivos camarários, casos da conclusão do IC10 na ligação da Ponte Salgueiro Maia à A1, a variante à EN3 entre o Vale de Santarém e o Cartaxo, o desvio da Linha do Norte e o Centro Intermodal na Portela das Padeiras, e a requalificação de quase todas as estradas nacionais que atravessam o concelho, entre vários outros que tardam em ser concretizados.

Estrutura sobretudo no que diz respeito ao rio Tejo, das propostas do separador “ação climática” destacam-se a recuperação da aldeia ribeirinha das Caneiras, que inclui também a criação de um corredor azul e de um cais flutuante para embarcações, a criação de um Centro Criativo para a Literacia Ambiental do Património Natural do rio Tejo em Santarém, e a Estratégia para a Sustentabilidade da Atividade Pecuária, que prevê a construção de espaços específicos para a instalação e relocalização de pecuárias e agroindústrias, na lógica da economia circular.

No que diz respeito à “energia”, as duas propostas relacionam-se com o aumento do número de postos de carregamento para veículos elétricos.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves