chamuscal apartilhatecfresh2018 slide

cartaxo rua batalhoz

A Câmara do Cartaxo é o município em pior situação financeira no distrito de Santarém mas o cenário, no final do primeiro semestre deste ano, apresenta melhorias em relação aos anos anteriores.

Num estudo do Conselho de Finanças Públicas (CFP), o Cartaxo faz parte de 4 municípios do país em situação de rutura financeira, algo que a autarquia confirma mas à qual acrescenta seis indicadores financeiros que, em seu entender, "mostram evolução muito positiva das contas do município".

"Podemos concluir que apesar de ser um município endividado e com a obrigatoriedade de recorrer ao FAM, uma vez que a sua dívida é mais de 300% superior à média das receitas correntes liquidas dos últimos três exercícios, podemos hoje afirmar de forma inequívoca que a situação financeira e económica do município hoje é melhor do que aquela que foi encontramos em outubro de 2013", refere uma nota de imprensa da autarquia.

A comprovar esta melhoria, a autarquia refere que os resultados líquidos melhoram 222 mil euros comparativamente a 2016, mantendo-se positivos no primeiro semestre de 2018 no valor de 373.774,12€, e que os pagamentos em atraso superiores a 90 dias reduziram 22,624 milhões de euros entre outubro de 2013 e junho de 2018. No final do ano de 2017, o município tinha de pagamentos em atraso o valor de 351 mil euros e no final do 1º Semestre de 2018 os pagamentos em atraso eram de 324 mil euros.

O Prazo Médio de Pagamento reduziu, nestes 5 anos, um total de 331 dias, sendo atualmente de 31 dias.

Outro dado salientado é que o município do Cartaxo, em janeiro de 2018, passou a ter fundos disponíveis positivos, situação que não se verificava desde a entrada em vigor da Lei 8/2012, de 21 de fevereiro. Em 2013 os fundos disponíveis eram negativos no valor de 55,663 milhões euros, atualmente a data de junho de 2018 existem fundos disponíveis positivos no valor de 1.807.161,19€ refletindo-se o efeito do empréstimo do FAM nas contas do município.

Quanto aos fundos próprios, apesar de continuarem negativos, desde o final de 2016 têm havido uma recuperação acentuada deste indicador, conseguindo até ao final do 1º Semestre de 2018, uma redução de 15,5% comparativamente a 2016.

De acordo com o relatório do CFP, no final do primeiro semestre, 25 dos 308 municípios do país encontravam-se acima do limite da dívida total, com Santarém ainda a fazer parte das câmaras com endividamento entre 150% e 225%.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves