chamusca ehtoiromicromineiro slide

golegaequuspolis

As instalações da Câmara Municipal da Golegã foram alvo de buscas da Polícia Judiciária (PJ) e do Ministério Público (MP) esta quarta-feira, 27 de junho, no âmbito da operação "Tutti Frutti", que está a investigar vários titulares de cargos públicos do PSD e do PS.

Esta investigação incide num período que vai de 2016 até outubro de 2017, data em que Rui Medinas, que governou a autarquia pelo PS no mandato 2013 – 2017, foi substituído na presidência por José Veiga Maltez.

O atual presidente da Câmara da Golegã confirmou à Agência Lusa que os inspetores pediram “para analisar pastas no gabinete do vereador que detém o pelouro das obras, procurando em particular processos relacionados com um conjunto de empresas ligadas a infraestruturas desportivas".

No total, a PJ realizou mais de 70 buscas a nível nacional, incluindo autarquias, sociedades e instalações partidárias, no continente e também nos Açores.

Os crimes em investigação estão relacionados com corrupção passiva, tráfico de influência, participação económica em negócio e financiamento proibido, segundo a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis