chamusca appelgalego natal2017

cm alpiarca

A Câmara Municipal de Alpiarça propôs à Assembleia Municipal a aprovação de uma taxa de IMI de 0,42% para o ano de 2018, um aumento de 40 por cento relativo a 2017.

A decisão foi aprovada na reunião do executivo municipal de 23 de novembro, com os fotos a favor da CDU e a abstenção do PS, tendo sido justificada pela maioria como uma forma de garantir a sustentabilidade financeira municipal e possibilitar o necessário investimento no futuro do concelho e de todos os alpiarcenses.

"Os próximos anos colocam-nos o desafio do aproveitamento das verbas do quadro comunitário Portugal 2020, oportunidade de executar obras e medidas importantes para o desenvolvimento do concelho, comparticipadas a 85%, mas tendo o Município que assegurar a sua parte de cofinanciamento", refere uma nota de imprensa do município.

O mesmo documento enumera alguns dos investimentos a realizar nos próximos anos, casos da revitalização do Mercado Municipal, da ampliação e requalificação do Jardim, da requalificação da Escola EB2,3/Secundária ou da substituição da iluminação pPública em todo o concelho com lâmpadas LED, entre outros.

Segundo a autarquia, com a taxa de 0,3 por cento nos últimos 5 anos, Alpiarça perdeu cerca de 2 milhões de (cerca de 400 mil euros por ano) em relação ao que receberia se fosse aplicada a taxa máxima (0,5%).

"Com a atual estrutura de receita, o Município não estará em condições para realizar os investimentos necessários e torna-se, por isso, impossível continuar a abdicar de uma receita fundamental como é a do IMI", justifica a autarquia na referida nota de imprensa.

Futebol: Jogo Coruchense x Mondenense | Fotos: João Dinis