chamusca pinoquioavisan2017

abrantescamaraorcamento

A Câmara Municipal de Abrantes aprovou um orçamento ligeiramente superior a 34 milhões de euros para 2018, documento que, juntamente com as Grandes Opções do Plano, passou com os votos da maioria PS, com o voto contra do Bloco de Esquerda e a abstenção do PSD.

O valor, segundo uma nota de imprensa da autarquia, regista um crescimento de 5% em relação ao orçamento de 2017.

No que se refere à comparação da despesa com a receita, “verifica-se uma poupança corrente de aproximadamente cinco milhões de euros, ou seja, mais 20% que o exercício anterior, permitindo com isso o cumprimento da regra de equilíbrio orçamental que determina que a receita bruta cobrada seja pelo menos igual à despesa corrente, acrescida das amortizações médias de empréstimo de medio e longo prazo”, explica a mesma nota, que acrescenta que a “poupança corrente permite fazer face a compromissos assumidos no âmbito do investimento do Portugal 2020”.

Este é o primeiro orçamento do mandato 2018 – 2021, em que a maioria PS define como prioridades estratégicas a concretização de projetos como o Museu Ibérico de Arqueologia e Arte (MIAA), o Centro Escolar de Abrantes, a Loja do Cidadão, o Parque do Vale da Fontinha, a Unidade de Saúde Familiar de Rossio ao Sul do Tejo, ou a Construção de Pontão sobre a Ribeira do Sardoal em Casais de Revelhos, entre outros, onde constam também os projetos vencedores da segunda edição do “Orçamento Participativo”.

Ainda segundo números da autarquia, a divida municipal de médio e longo prazo ronda atualmente os sete milhões de euros.

Futebol: Jogo Coruchense x Mondenense | Fotos: João Dinis