chamusca appTecfresh17

golegacerimoniainstalacao

O presidente cessante da Câmara da Golegã, Rui Lince Medinas, não gostou que não lhe fosse dada a palavra para intervir durante a cerimónia de instalação do novo executivo da autarquia, que decorreu esta quinta-feira, 12 de outubro.

São “sinais preocupantes de um novo ciclo que hoje se inicia!”, escreveu Rui Medinas numa mensagem de despedida na sua página pessoal do Facebook, onde explica que, em 2013, permitiu que José Veiga Maltez discursasse durante o ato de passagem do testemunho.

Ora, quatro anos volvidos, Veiga Maltez não devolveu a cortesia a Rui Medinas, o que indica que a má relação entre os dois autarcas está para durar.

Recorde-se que o verniz entre os dois estalou precisamente antes das eleições autárquicas de 2013, quando Veiga Maltez se opôs à escolha de Rui Medinas, que era vereador nesse mandato, para seu sucessor na Câmara da Golegã.

Depois de 16 anos como presidente da autarquia, entre 1997 e 2013, e impedido por lei de se recandidatar a novo mandato, Veiga Maltez criou o movimento independente GAP, que venceu as eleições para a Assembleia Municipal mas não conseguiu roubar a Câmara ao PS, que apoiou Medinas.

No Facebook, Rui Medinas acrescenta ainda que “ao contrário do que há quatro anos atrás comigo aconteceu, relativamente ao que designamos por Passagem da Pasta, deixei ao Presidente da Câmara um dossiê com um conjunto de documentos diversos que permitirão inteira-lo dos assuntos mais prementes e de outros que não o sendo, lhe permitirão uma decisão atempada e informada.

Coisa que, segundo conta, Veiga Maltez também não lhe terá deixado

Futebol: Jogo Coruchense x Mondenense | Fotos: João Dinis