chamusca apptagus

santaremSVPVFmifu

O Movimento Independente das Freguesias Unidas (MIFU), que lidera a União de Freguesias de São Vicente do Paul e Vale de Figueira, foi o primeiro a entregar as listas concorrentes às próximas eleições autárquicas no Tribunal de Santarém, na tarde desta segunda-feira, 31 de julho.

Um dia antes, no domingo, 30 de julho, o PS apresentou oficialmente a sua candidatura e a composição das listas que concorrem à Assembleia da mesma União de Freguesias, numa sessão que decorreu em Vale de Figueira.

O MIFU volta a apresentar como cabeça de lista o atual presidente, Ricardo Costa, que lidera a freguesia há 28 anos (primeiro como presidente da Junta de Freguesia de São Vicente do Paul, e agora a tentar o segundo mandato consecutivo depois da junção administrativa com Vale de Figueira).

“Precisávamos de 80 assinaturas e recolhemos perto de 150”, disse o candidato à entrada do Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão de Santarém, onde explicou que os nomes que compõe as listas são “repartidos entre Vale de Figueira e São Vicente do Paul”.

“É a prova de que a união está a funcionar, porque nós nunca tivemos qualquer diferença de tratamento entre as duas freguesias que se juntaram”, salientou Ricardo Costa, que tem Maria João Miranda como número dois e Francisco Oliveira como número três, mantendo-se Susana Veiga Branco como a escolha para liderar a Assembleia da União de Freguesias.

Jovem geógrafo lidera candidatura do PS

santaremSVPVFpsFormado em geografia e natural de Vale de Figueira, João Ferrão é o cabeça de lista do PS a esta União de Freguesias.

“Candidato-me pela melhoria da qualidade de vida de todos os cidadãos”, frisou João Ferrão na apresentação da sua candidatura, numa sessão que contou com a presença de Rui Barreiro, o candidato socialista à Câmara de Santarém.

Na sua intervenção, João Ferrão sublinhou que os problemas da poluição que afetam os rios Tejo e Alviela não podem ser esquecidos e frisou que as suas prioridades serão “tudo aquilo que a atual gestão autárquica não fez”.

“A colocação de alcatrão, por si só, não gera desenvolvimento”, afirmou João Ferrão, que lamentou não existir na freguesia uma atividade cultural mais diversificada.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões