banner chamusca meninabambu

Politica

almeirim praca touros

O presidente da Câmara Municipal de Almeirim, Pedro Ribeiro, quer dar uma nova cara à zona do Parque das Tílias e da Praça de Touros da cidade, onde se concentram também alguns dos restaurantes mais conhecidos e frequentados do concelho "capital" da Sopa da Pedra, que acolhem diariamente centenas de visitantes.

"Na passada semana tive a primeira reunião de trabalho com vista a dar início ao projeto de estudo prévio para a zona", confirma Pedro Ribeiro na sua página do facebook, acrescentando que "o objetivo é planear para o futuro uma intervenção que melhore substancialmente uma zona da cidade que é visitada por centenas de milhares de pessoas anualmente".

Pedro Ribeiro revela que a autarquia contratou o arquiteto Bruno Soares, um urbanista responsável, entre outros projetos, pelas obras recentes no Cais do Sodré, Largo do Corpo Santo e Terreiro do Paço em Lisboa.

"Temos consciência que esta intervenção não é para fazer 'amanhã' mas sabemos todos que é fundamental preparar e planear o futuro. Se isso for feito por pessoas especializadas e com créditos firmados todos ganhamos, sobretudo quando se trata de turismo", conclui Pedro Ribeiro.

chamusca energia

A Câmara Municipal da Chamusca tem como um dos grandes objetivos para o corrente ano a redução do consumo de energia elétrica, aplicando a melhor tecnologia disponível para ajudar a preservar o ambiente.

Entre os vários projetos que permitirão vincar essa consciência ambiental e a sustentabilidade de recursos, está a substituição da iluminação interior dos edifícios públicos, a totalidade da iluminação pública por luminárias com tecnologia LED, a substituição da caldeira existente na Piscina Municipal por uma alimentada por biomassa e a colocação da cobertura do plano de água.

O presidente da autarquia, Paulo Queimando, revela que o município irá gastar uma verba de mais de 2 milhões de euros (2.135.303,00€) com medidas que permitirão melhorias significativas a esse nível, sendo que alguns destes projetos são elegíveis para candidatura a financiamento por fundos comunitários.

"Existe por parte do executivo a premissa de melhorar a eficiência energética como forma de diminuir consumos e custos energéticos contribuindo para um desenvolvimento mais sustentável, garante Paulo Queimado”.

Paralelamente, a EDP decidiu avançar com a substituição das luminárias com lâmpadas de mercúrio existentes por luminárias LED e a localidade foi Chouto/Gaviãozinho, onde foram substituídas 40 lâmpadas. A substituição, melhorou substancialmente o nível de iluminação, tendo mais luz com menos potência, permitindo reduzir custos e melhorar o ambiente.

riomaiormoagemmariaceleste

A Câmara Municipal de Rio Maior comprou o edifício da antiga Moagem Maria Celeste, um imóvel histórico situado junto ao rio na zona mais antiga da cidade, por 250 mil euros.

A escritura púbica foi assinada na terça-feira, 16 de janeiro, e concluiu, segundo uma nota de imprensa da autarquia, os processos de negociação “com os proprietários de terrenos na zona de implantação do projeto de Requalificação e Valorização da Villa Romana e do Rio Maior”.

Em termos globais, o projeto da autarquia visa “devolver o rio à cidade, numa zona onde nascerá um parque urbano ao longo de todo o seu percurso, com um novo edifício para albergar a Villa Romana”.

Além da sua abertura permanente ao público, vários equipamentos passam a ficar à disposição dos munícipes no troço da Avenida dos Combatentes, entre o cemitério municipal e a Rua Norton de Matos.

Segundo a mesma nota, este é um dos projetos estruturantes de intervenção do município na cidade, no âmbito do seu Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU).

A intervenção tem financiamento comunitário, mas estão excluídas as aquisições de terrenos e outros imóveis necessários para a implementação dos projetos, “verbas que saem diretamente do orçamento municipal”.

No total, o valor global deverá atingir os 4,5 milhões de euros, comparticipados por verbas provenientes do FEDER, e que vão inclui ainda intervenções de recuperação da Casa Senhorial e núcleo histórico do Paço Real (já em curso), a requalificação da Praça do Comércio e zona envolvente, e a construção das ciclovias Rio Maior–Asseiceira e Rio Maior-Vale de Óbidos, entre outras.

Desert Challenge 2017