chamusca appmicromineiro slide

Politica

anabela freitas

A atual presidente da Câmara Municipal de Tomar, Anabela Freitas (PS), de 50 anos, apresentou a recandidatura ao cargo esta sexta-feira à noite, numa sessão realizada na Praça da República, no centro da cidade.

Antes de chegar à liderança autarquia, em 2013, quando conquistou por pouco mais de um por cento o poder que estava nas mãos do PSD, Anabela Freitas foi técnica de emprego e ex-diretora do Centro de Emprego de Tomar, tendo também sido deputada à Assembleia da República.

Foi ainda presidente da Comissão Politica Concelhia de Tomar do PS e do Departamento Federativo Mulheres Socialistas de Santarém e deputada municipal, além de ter presidido à Assembleia Geral do Sporting Clube de Tomar.

A candidatura de Anabela Freitas às eleições autárquicas de 1 de outubro tem como lema "Tomar o caminho certo".

Atualmente o PS tem 3 vereadores na câmara de Tomar, mais 1 que o PSD e os Independentes por Tomar (2 cada), enquanto a CDU detém o último lugar da vereação.

almeirimCDUcandidatos

Sónia Colaço, a atual vereadora da CDU na Câmara Municipal de Almeirim, vai ser a cabeça de lista do movimento a este órgão do poder local nas próximas autárquicas de 1 de outubro.

Em comunicado, a comissão coordenadora da CDU de Almeirim avança também que José Coutinho Lopes será o primeiro nome da lista à Assembleia Municipal, e que o mandatário da candidatura será José Manuel Sampaio.

A apresentação pública das linhas programáticas das candidaturas aos órgãos autárquicos será realizada no próximo dia 8 de julho, pelas 18 horas, na biblioteca municipal Marquesa do Cadaval.

Sónia Colaço tem 39 anos, é licenciada em biologia, e desempenha funções como assessora no grupo municipal do Partido Ecologista “Os Verdes” em Lisboa.

Atual eleito na Assembleia Municipal de Almeirim, José Coutinho Lopes tem 67 anos e foi profissional dos CTT, ao passo que o médico pediatra reformado José Manuel Sampaio tem uma larga experiência no poder autárquico, tendo desempenhado os cargos de presidente da Assembleia Municipal de Almeirim de 1989 a 1993, onde desempenhou também funções de eleito nos restantes mandatos até 2007, e foi vereador de 1983 a 85.

psdapresentacaocandidatos

A distrital do PSD de Santarém apresentou os candidatos do partido a 19 dos 21 concelhos do Ribatejo nas próximas eleições autárquicas, durante uma convenção que se realizou este domingo, 11 de junho, na Feira Nacional da Agricultura.

O presidente do PSD e ex-primeiro ministro Pedro Passos Coelho marcou presença na sessão, onde deixou um “voto de confiança” aos elementos que vão integrar as listas social-democratas.

“Todos serão o exemplo para aqueles que, no próximo dia 1 de Outubro, no poder ou na oposição, irão assumir as suas funções, dignificando o PSD, os seus projetos coletivos, as suas gentes e as suas terras”, afirmou o presidente da distrital do PSD, Nuno Serra, após a apresentação individual dos cabeças de lista.

Num discurso com fortes críticas ao atual governo PS, Nuno Serra, que é também deputado eleito pelo círculo de Santarém, referiu várias questões que preocupam as autarquias locais, casos da saúde, da coesão territorial, da descentralização e do financiamento das Câmaras, onde a tutela, na sua opinião, “distingue e segrega concelhos pela cor partidária”.

Tendo como desculpa a vinda do Papa Francisco a Portugal, o governo “permitiu ao atual presidente de Câmara de Ourem ter à mão mais de 5 milhões de euros para gastar, sem concursos, sem discussão de preços”, sendo este o mesmo governo que “não tem 5 milhões para resolver o problema das Barreiras de Santarém, nem 2 milhões para requalificar a estrada nacional 362”.

“De há uns tempos para cá só há dinheiro e anúncios de investimento, recuperação de escolas e centros de saúde nos concelhos liderados por socialistas”, notou Nuno Serra, sublinhando o caso da saúde, onde os médicos estão ainda por vir para o distrito e as anunciadas novas valências hospitalares estão por concretizar.

Para o líder distrital social-democrata, o futuro dos municípios passa pela descentralização.

“A descentralização de competências para os municípios tem de ser vista com a possibilidade dos autarcas adquirirem capacidades de prestarem um melhor serviço as populações e isto inclui, como é óbvio, competências que são adequadas e ajustadas às funções municipais, onde as camaras são mais-valias e terá que incluir o respetivo envelope financeiro”, afirmou Nuno Serra, lamentando, no entanto, que não seja “esse o caminho que o atual governo está a querer seguir”.

E os candidatos são…

No que se refere aos candidatos, os atuais cinco presidentes de Câmara recandidatam-se a novos mandatos: Ricardo Gonçalves em Santarém, Isaura Morais em Rio Maior, Jacinto Lopes em Ferreira do Zêzere, Vasco Estrela em Mação e Miguel Borges no Sardoal.

No Entroncamento, o PSD vai apostar no ex-presidente Jaime Ramos para tentar recuperar ao PS um concelho que Isilda Aguincha perdeu de forma algo surpreendente nas autárquicas de 2013.

Uma das surpresas da tarde foi a apresentação de cabeça de lista em Almeirim, que será Vanessa Duarte, a atual presidente de Junta de Freguesia da Póvoa da Isenta, no concelho de Santarém, eleita há quatro anos pela CDU.

Nos restantes municípios da Lezíria do Tejo, os candidatos serão Liliana Santos Pinto em Coruche, Ana Oliveira em Salvaterra de Magos, Paulo Duarte Sardinheiro em Alpiarça, Ricardo Oliveira em Benavente, Rui Rufino na Chamusca, e Jorge Gaspar no Cartaxo.

No Médio Tejo, os cabeças de lista à Câmara Municipal serão António Castelbranco em Abrantes, Luís Albuquerque em Ourém, Luís Boavida em Tomar, João Quaresma Oliveira em Torres Novas, Marco Gomes em Constância, e Cláudia Ferreira na Barquinha.

Na Golegã e em Alcanena, o PSD deverá apoiar coligações ou candidaturas independentes, não tendo divulgado para já quem serão os candidatos.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões