chamusca baguncadabanner tasquinhas2017

Susana Veiga Branco

Susanaveigabranco01Um ano de crónicas minhas na Rede Regional…estamos de aniversário e de parabéns.

Tempo de agradecimento à Rede Regional, nas pessoas de João Pepino e de Jorge Guedes, por esta aposta.

Tempo de agradecimento a todos vós que me acompanham e acarinham com esse acompanhamento, que vêm ter comigo a comentar as minhas crónicas, que as leem, delas se recordam e sobre os assuntos que contêm refletem.

Quando alguém guarda uma crónica no seu cantinho das memórias boas, esse reconhecimento dá alento à continuidade da escrita, é a base que sustenta a ideia. O meu muito sincero obrigada a todos os leitores. O meu apreço por vós não tem meios; é um todo que me enche o coração.

Ser Ribatejana, Scalabitana e habitar em meio rural na Freguesia São Vicente do Paúl por opção traz-me a vantagem e orgulho de me integrar neste órgão de comunicação de referência, a Rede Regional, que privilegia a informação regional de qualidade. Sabemos que as regiões, o regional, são fundamentais para o funcionamento do País como um todo; o poder central envia as coordenadas e gere os processos, é certo, mas o poder local tem a vantagem única de estar “lá” no momento, onde, quando e como “acontece”. Este dia a é único e fundamental.

Esta aposta na transmissão da informação regional que chegue a todos e com a vantagem de estar disponível a um clique tecnológico é crucial e uma aposta vencedora no desenvolvimento e progresso das comunidades e da sociedade.

A Rede Regional, sobretudo, está de parabéns, pois o balanço de 2016 refletiu-se em mais de dez milhões de acessos, tendo crescido de forma fantástica no último ano. Não é brincadeira; é a resposta a muito e bom trabalho. É caso para dizer a verdade, que não é para todos mas para quem se empenha e sabe de verdade.

No estar informado, no pensar e ponderar está a chave da melhoria, boas ideias, crescimento e sucesso. É no andar que nos vai retirando das nossas pequenas cápsulas e nos levando ao patamar superior que está o futuro.

Já dizia Umberto Eco que “A mente desenvolve-se como o corpo, mediante crescimento orgânico, influência ambiental e educação”.

Paulo Freire tem a célebre frase “Educação muda as pessoas. As pessoas transformam o mundo”.

Esta educação (e não falo só da educação escola-aluno, falo na educação que vamos criando e difundindo ao longo da nossa vida, à medida e a partir da forma como apreendemos o mundo) vai-se construindo, é percurso.

Durante este ano transato fizeram título nestas crónicas “Empenho e crescimento”, “Meu Tejo, meu Alviela”, “Ainda a desigualdade entre Géneros”, “A nossa Cortiça Portuguesa”, “Tempos de Economia Social”, “Tradições, Feira e Saudade”, “Dimensões de Desempenho e Excelência Empresarial”, “Festividades, o coração das nossas gentes”, “Portugal ardeu, arde e arderá”, “Gerir e gerar conhecimento”, “Trumporizar” e “Pedaços de Natal”. O que nos reservará 2017, um ano que será marcado por mudanças precisamente quanto ao poder local – é ano de eleições Autárquicas, entre muitos outros tópicos?

Nós cá estamos para ir observando e vendo, resistindo e persistindo, sempre em busca de difundir mais informação sobretudo regional, sempre comentando…só assim cada um de nós poderá inventar e reinventar possíveis estratégias e soluções de melhoria para os problemas que nos são colocados dia a dia, só assim vamos crescendo. 

Carnaval Samora Correia - Fotos João Dinis