chamusca apptagus

Educação

ips02

O Instituto Politécnico de Santarém (IPS) destacou-se pela negativa no concurso nacional de acesso ao ensino superior, contrariando a tendência de estabilidade que se vive na esmagadora maioria das instituições de ensino superior do país, perdendo quase meia centena de vagas relativamente ao mesmo concurso de 2016.

Segundo os dados disponibilizados pela Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), o IPS, que junta as escolas superiores Agrária, de Educação, Gestão, Saúde e Desporto (Rio Maior), tem este ano disponíveis 973 vagas, contra as 1018 de 2016, uma diminuição de 45 vagas.

A Escola de Gestão lidera o número de vagas (292), seguindo-se Desporto (263), Agrária (211), Educação (127) e Saúde (80).

Em Tomar, onde o politécnico junta as escolas superiores de Gestão e Tecnologia (ambas em Tomar) e Tecnologia (de Abrantes), o número de vagas mantém-se (477), divididas por Tecnologia Tomar (233), Gestão (132) e Tecnologia Abrantes (112).

O número de vagas no ensino superior aumenta (150) este ano a nível nacional, num total de 50.838 vagas nas universidades e politécnicos públicos. Há 42.128 vagas para 952 licenciaturas, 8.547 vagas para 103 mestrados integrados e 163 vagas para sete cursos preparatórios de mestrado integrado.

As candidaturas à 1.ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior decorrem até 8 de agosto, e devem ser submetidas ‘online’, no portal da DGES (http://www.dges.gov.pt), devendo os candidatos usar o cartão de cidadão para autenticação.

Os resultados da 1.ª fase são divulgados no dia 11 de setembro, no portal da DGES, e seguem-se depois as 2.ª e 3.ª fases do concurso nacional de acesso.

cerveja artesanal

O centro Ciência Viva do Alviela, situado junto à praia fluvial dos Olhos de Água, em Alcanena, vai ser palco no dia 22 de julho, às 17h30, de uma prova de cervejas artesanais nacionais, conduzida por Gonçalo Faustino, engenheiro químico da Faustino Microcervejeira.

Na iniciativa estarão presentes vários produtores e parceiros no desenvolvimento e promoção de cervejas artesanais.

As inscrições são limitadas (4,00€/pessoa), obrigatórias e poderão ser efetuadas através do 249 881 805 ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. .

concursoEPSMpremio

Os projetos apresentados pela Escola Profissional de Salvaterra de Magos (EPSM) e pela Escola Profissional de Coruche (EPC) estiveram em destaque na edição de 2017 do “AptiPro”, um concurso de protótipos tecnológicos que decorreu no Instituto Profissional da Bairrada, em Oliveira do Bairro.

No que se refere à EPSM, o projeto “Green Food Balance” arrecadou dois prémios, o 1º lugar a nível nacional e a distinção “Escola Preferida”.

O “Green Food Balance” é um projeto que tem por objetivo viabilizar a transformação dos mais diversos produtos hortofrutícolas em ração para herbívoros e omnívoros, onde, além do reaproveitamento, o excedente da matéria-prima para a ração será utilizado como fertilizante orgânico.

A sua mais valia foi confirmada através do contacto com o tecido empresarial, mais especificamente com as empresas do grupo ETSA, que mostraram interesse no projeto.

Ainda da EPSM, o projeto “Clean Cutlery”, que venceu recentemente o concurso “Ciência na Escola” da Fundação Ilídio Pinho, foi também um dos finalistas no “AptiPro 2017”.

“Os resultados alcançados são consequência do esforço e do trabalho de uma equipa de bons alunos e professores, cujo energia e dedicação alcançam, nestes momentos, o reconhecimento de várias entidades", referiu o diretor-geral da EPSM, Duarte Bernardo, lembrando que “este tem sido um ano cheio de prémios para a escola”.

concursoEPCpremioNo que se refere à EPC, o projeto “Linha Transformadora de Milho”, recebeu uma menção honrosa neste “AptiPro 2017”.

O projeto apresentado pelos alunos Miguel Pereira e João Santos, do 12º ano do curso técnico de manutenção industrial / eletromecânica, foi um dos seis finalistas entre os 28 a concurso.

Os alunos receberam um prémio monetário de 100 euros, e a escola um cheque-vale em equipamentos no valor de 200 euros.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões