app chamuscamicromineiro slide

Educação

cityhack

Cerca de 80 estudantes, oriundos de diversas instituições de ensino superior, reúnem-se nos dias 2 e 3 de junho, sábado e domingo,no Complexo da Levada, em Tomar, para participarem no CityHack 2018.

Esta maratona de 24 horas, organizada pela Câmara e o Instituto Politécnico de Tomar, tem como objetivo incentivar os participantes a apresentarem soluções tecnológicas para a melhoria da qualidade de vida nas cidades.

Cada equipa será orientada por mentores especialistas nas diversas áreas a concurso, nomeadamente Social & Inclusão, Saúde & Bem-Estar, Turismo & Cultura, Emprego e Dinâmica Empresarial e Mobilidade & Eficiência Energética.

O Hackaton 2018 arranca sábado, pelas 10h00 e as equipas vencedoras são anunciadas no domingo, pelas 15h00.

constanciaborboletasnoite

Para celebrar o seu quinto aniversário, o Borboletário Tropical do Parque Ambiental de Santa Margarida (PASM), no concelho de Constância, convida os visitantes a descobrir a vida noturna das borboletas nos próximos dias 1, 2 e 5 de junho.

Intituladas “o outro lado da vida das borboletas”, estas visitas, que vão decorrer a partir das 20h30, são gratuitas, mas sujeitas a inscrição obrigatória e com o número de participantes limitado.

Os interessados devem efetuar a sua inscrição através do endereço de correio eletrónico Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. , ou do telefone 249 736 929.

Aberto ao público desde o dia 5 de junho de 2013, o Borboletário Tropical é um espaço criado para dar a conhecer o mundo das borboletas, contribuindo para o conhecimento da biologia e ecologia destes insetos.

No interior do Borboletário o tempo está sempre quente e húmido. Desta forma é possível manter vivas, durante todo o ano, borboletas tropicais que esvoaçam por entre a vegetação.

“Cientistas, alunos e professores das escolas, famílias com ou sem crianças, turistas, todos têm no borboletário um universo especial, verdadeiramente exótico, onde podem observar diversas espécies de borboletas, incluindo algumas de dimensões consideráveis, todas de uma beleza indizível”, salienta uma nota de imprensa da Câmara de Constância.

santaremescolaginestalmachado

Dezenas de encarregados de educação de alunos da Escola Secundária Ginestal Machado, em Santarém, estão descontentes com os atrasos nos pagamentos de verbas referentes à frequência de cursos profissionais, que são subsidiados por fundos europeus.

Segundo o relato de vários pais à Rede Regional, está em causa o ressarcimento de verbas relativas à compra do passe mensal dos transportes escolares e uma bolsa única para aquisição de material, e que já atingem valores que desequilibram os orçamentos familiares.

“É uma confusão tremenda. Uns ainda não receberam nada, outros já receberam uma parte do dinheiro, e quando pedimos informações na secretaria, ninguém sabe explicar nada”, afirmou a mãe de um aluno do 11º ano, que pede para não ser identificada.

“Eu tenho quase 200 euros para receber, e já falei com outros pais que dizem ter ainda mais, mas nem sabem ao certo quanto”, acrescenta outro encarregado de educação ouvido pela nossa reportagem.

Contatada pela Rede Regional, a direção do Agrupamento de Escolas Ginestal Machado explica que, relativamente às turmas dos 11º e 12º anos, vai “pagar, nos próximos dias, as verbas referentes aos meses de fevereiro e março de 2018, ficando apenas por liquidar os meses de abril a junho de 2018”.

Ou seja, a direção garante ter tudo em dia até janeiro de 2018, mas há encarregados de educação que afirmam ter verbas de meses anteriores por receber.

Sobre esta questão, o agrupamento atesta que serão casos pontuais, em que os próprios alunos “não entregaram aos diretores de turma os comprovativos de aquisição dos passes de transporte, nas datas indicadas, ou o diretor de turma entregou na contabilidade os comprovativos em data posterior ao determinado”.

Financiamento das turmas de 10º ano ainda não foi aprovado

A situação dos 83 alunos que entraram este ano letivo para as três turmas de 10º ano é mais complicada, pois o financiamento destes cursos profissionais, que são subsidiados por verbas do Fundo Social Europeu através do Programa Operacional do Capital Humano (POCH), ainda está por aprovar.

Segundo a direção do agrupamento, as candidaturas ao financiamento por parte do POCH atrasaram-se significativamente e abriram apenas “de Janeiro para Fevereiro de 2018”, encontrando-se ainda em fase de análise para posterior aprovação.

O Agrupamento explicou à Rede Regional que “enquanto não receber a aprovação do projeto e subsequente recebimento de verbas, não tem capacidade para satisfazer os anseios dos encarregados de educação”, assim como não pode prever quando será aprovado o financiamento.

Mesmo nesta situação de impasse, o agrupamento acrescenta que assumiu a responsabilidade de fornecer o almoço gratuito a todos os alunos do 10º ano, desde o primeiro dia de aulas do ano letivo 2017 / 2018.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis