chamusca appcoruche sabores-tasquinhas

Educação

santaremENCIcursosrepresentacao

A cidade de Santarém vai receber o primeiro encontro nacional de Cursos de Interpretação (ENCI), uma iniciativa que vai reunir seis escolas secundárias com cursos profissionais de Artes do Espetáculo, e que se realiza de 16 a 20 de abril.

O encontro é organizado pelo curso de Artes do Espetáculo -- vertente Interpretação da Escola Secundária Dr. Ginestal Machado, e vai contar com a presença de cerca de 100 alunos e professores de outras cinco escolas, de Lisboa (duas), Évora, Braga e Portalegre.

O objetivo, segundo explicaram os organizadores em conferência de imprensa, passa por refletir sobre o ensino artístico em Portugal e mostrar o trabalho realizado pelos seus alunos.

O encontro está organizado em três períodos, em que as manhãs e princípios de tarde serão preenchidos com workshops dinamizados pelos professores das várias escolas participantes, para grupos que vão misturar alunos.

Os finais de tarde são dedicados aos “chás dos técnicos”, para debate e reflexão, e as noites para apresentação de espetáculos, segundo explicou Sara Gabriel, professora do curso da Ginestal Machado.

O encontro conta com a parceria da Câmara de Santarém e do Círculo Cultural Scalabitano, que cedem espaços para a realização dos workshops, a decorrer nas oficinas da Ginestal Machado e na Incubadora de Artes (na antiga EB S. Salvador), e nos teatros Sá da Bandeira e Taborda.

construcao civil

O concurso público para as obras de ampliação na escola primária e jardim de infância do Vale de Santarém ficou deserto, por falta de emnpresas interessadas, e terá de ser lançado uma terceira vez.

A informação foi dada esta segunda-feira, 9 de abril, pelo presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), em resposta a uma questão colocada pelo vereador socialista José Augusto na reunião do executivo municipal.

Segundo Ricardo Gonçalves, a falta de interessados em realizar obras municipais é um problema que se volta a colocar em todo o país, uma vez que o crescimento no setor da construção nos últimos meses e algum desajustamento nas tabelas indicativas de preços, leva a que as empresas optem por fazer outras obras.

O preço base do procedimento na escola do Vale de Santarém, que contempla a criação de mais salas de aula, centro de recursos, refeitório e adaptação de casas de banho, tinha um preço base a rondar os 218 mil euros, com um prazo de execução de 180 dias.

O presidente da Câmara diz que os técnicos da autarquia terão de rever o valor orçamentado em alta e prometeu lançar novo concurso assim que for possível. "Ninguém quer mais que as obras avancem do que nós", afirmou, em resposta a uma questão de Rui Barreiro (PS), que lembrou que esta é a segunda vez que a obra não avança.

Recorde-se que um primeiro concurso ganho pela empresa pela Tytec, em Maio de 2017, acabou por ficar sem efeito devido à desistência da empresa numa fase em que já não era possível adjudicar a obra à segunda classificada.

Mais avançada está a situação na Portela das Padeiras, cujo concurso teve uma empresa interessada que deverá iniciar as obras assim que estiverem concluídos todos os trâmites legais, devendo estar concluídas seis meses após o início da construção.

 

Amiais também vai avançar

Na reunião desta segunda-feira, Ricardo Gonçalves revelou ainda que o projecto para a requalificação da escola básica de Amiais de Baixo já está concluído e deverá ser lançado em breve.

O autarca revelou que o preço base das obras é de 160 euros.

constanciacentroescolarsantamargarida

A Câmara Municipal de Constância decidiu encerrar o centro escolar na freguesia de Santa Margarida da Coutada devido aos maus cheiro de origem desconhecida que afetam o equipamento.

O agravamento do problema, que tem sido motivo de queixa da comunidade escolar há vários anos, levou a autarquia a tomar esta decisão, que se manterá até que se apuram as causas dos cheiros nauseabundos, segundo explicou o presidente da Câmara, Sérgio Oliveira, numa conferência de imprensa realizada este domingo, 8 de abril.

Segundo o autarca, há um relatório do Instituto Politécnico de Tomar (IPT) que sugere o encerramento do centro escolar, tendo em conta que se desconhecem os efeitos que esta situação poderá ter nas crianças e nos professores e funcionários ali colocados.

O centro escolar de Santa Margarida começou a ser construído em 2009 no espaço da antiga escola primária da freguesia, e foi inaugurado em 2011, tendo neste momento cerca de 70 crianças no ensino pré-primário e do 1º ciclo, a que se juntam 15 professores, educadores e auxiliares de educação.

Os alunos vão ser provisoriamente transferidos para a sede do agrupamento de escolas Luís de Camões, em Constância, a partir de terça-feira, 10 de abril, perdendo apenas um dia de atividades letivas.

Sérgio Oliveira, que venceu pelo PS as últimas eleições autárquicas e tomou posse como presidente da Câmara há poucos meses, disse ainda ter sido surpreendido ao tomar conhecimento do relatório técnico do IPT, que data de abril de 2016, mas não tem registo de entrada nos serviços da Câmara.

Cerimónia de Apresentação Santarém Cup 2018