chamusca appmicromineiro slide

Educação

antonio baiao

António Baião, conhecido funcionário da Escola Profissional de Salvaterra de Magos (EPSM), onde era porteiro há vários anos e uma pessoa muito estimada por colegas, professores e alunos, faleceu na noite de domingo 28 de maio, no Hospital de Vila Franca, na sequência de uma paragem cardiorespiratória ocorrida na última quarta-feira, 24 de maio.

O incidente aconteceu durante o I Encontro de Antigos Alunos das Novas Oportunidades e Certificação de Competências da EPSM, realizado num restaurante de Samora, com a participação de mais de uma centena de amigos de António Baião.

A vítima foi prontamente socorrida no local com manobras de reanimação feitas por alguns dos presentes e, posteriormente, pelos bombeiros e pela equipa médica da VMER de Vila Franca de Xira, para onde foi transportada.

O seu estado manteve-se sempre com prognóstico muito reservado, com morte cerebral, vindo a falecer na noite deste domingo.

Natural de Canha, no concelho do Montijo, António Baião, que completava 54 anos na próxima sexta-feira, 2 de junho, estava radicado há vários anos em Salvaterra de Magos, onde era também agente de artistas e organizava eventos, muitos deles de solidariedade.

Esta manhã foi colocada uma faixa negra na entrada da Escola Profissional de Salvaterra de Magos. As cerimónias fúnebres ainda não estão marcadas.

 

cartaxoescolafeiramedieval

O agrupamento de escolas Marcelino Mesquita, no Cartaxo, levou a cabo o “A Escola Tem Talento” e uma “Feira Medieval”, dois eventos que fazem parte do seu plano anual de atividades e que, mais uma vez, contaram com grande envolvimento de toda a comunidade escolar e da população da cidade.

A gala "A escola Tem talento", que se realizou no Centro Cultural do Cartaxo, contou com 12 atuações de dança, canto, execução instrumental, karate e magia.

A aluna Rita Rodrigues arrecadou o primeiro arrecadado o primeiro lugar com a sua interpretação do fado “Gente da Minha Terra”, um original de Mariza, tendo o segundo lugar sido atribuído a um quarteto de sopros constituído por jovens entre os 10 e os 13 anos de idade, e o terceiro a Sofia Catarino, de 15 anos, com uma demonstração de dança.

Tendo em conta que se tratou de uma gala de cariz solidário, os fundos reverteram a favor da “CLR Project”, uma organização não-governamental de apoio humanitário que atua em Portugal e África.

Jogos tradicionais, malabaristas, cuspidores de fogo, petiscos e muita animação foram os principais ingredientes da Feira Medieval, que recriou o espírito da Idade Média dentro da escola nos dias 26 e 27 de maio.

Com os participantes trajados a rigor, esta atividade envolveu não só os alunos e professores da secundária, mas também os pais, que deram vida a dois dias de convívio e petiscos, com destaque para as bifanas, sopas, ervas aromáticas e doces, entre outras iguarias.

santaremjardimliberdadecriancas

As comemorações do dia mundial da criança em Santarém deverão envolver perto de 1.500 alunos das escolas do concelho, no próximo dia 1 de junho.

As atividades, segundo uma nota de imprensa da Câmara de Santarém, decorrem das 09h30 às 16 horas, no Jardim da Liberdade, onde vão decorrer diversos ateliês, música, dança, jogos tradicionais, demonstrações desportivas, insufláveis, construção de arcada de balões e pinturas faciais, entre outros.

O espaço vai também acolher demonstrações de meios da Escola Segura da PSP e terá uma zona de adoção de animais do canil e gatil municipal.

Para além destas atividades, durante todo o dia, a empresa municipal ViverSantarém disponibiliza entradas livres para crianças até aos 12 anos, acompanhadas pelas escolas ou famílias, no parque aquático municipal, onde se realizam também atividades lúdicas e desportivas, aulas de fitness, hidro kids, futebol, insufláveis e jogos pedagógicos.

A sala de leitura Bernardo Santareno acolhe sessões da apresentação do livro infantil “Desculpa por acaso viste o mar?”, de Alda Serras, às 10, 11 e 14 horas, ao passo que o Museu Diocesano de Santarém oferece visitas gratuitas às crianças acompanhadas por escolas ou famílias.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões