chamusca appmicromineiro keepcalm

Educação

salvaterraministroeducacaoforos

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, esteve este sábado, 28 de janeiro, nos Foros de Salvaterra, onde inaugurou o novo relvado sintético e a requalificação do espaço envolvente do Campo da Pedrinha e visitou o futuro centro escolar desta freguesia do concelho de Salvaterra de Magos.

“É com obras como esta que vamos conseguir ter melhores cidadãos e jovens mais preparados e mais felizes”, referiu o presidente da Câmara de Salvaterra, Hélder Manuel Esménio, na cerimónia de inauguração.

No seu discurso, Tiago Brandão Rodrigues sublinhou que “a autarquia soube, e bem, mobilizar recursos dos fundos comunitários para os aplicar naquilo que são mais reprodutivos: o futuro qualificado dos mais novos”.

No que se refere ao Campo da Pedrinha, obra incluiu demolições, movimentação de terras, colocação de relva sintética e de pavimentos, rede de água, drenagem pluvial e vários equipamentos, num investimento de mais de 200 mil euros.

Antes do campo de futebol, a comitiva visitou as obras do futuro centro escolar da Várzea Fresca, que, após concluída a sua construção, vai ditar o fim das aulas em contentores para cerca de 250 crianças nos Foros de Salvaterra.

A obra arrancou em dezembro de 2016, e prevê a criação de salas para o pré-escolar, 1º ciclo, componente de apoio à família (CAF), sala polivalente, biblioteca, cozinha e refeitório, sala de professores, e espaços exteriores e parques infantis, entre outros, numa área total de 2400 metros quadrados.

cartaxo hotspot

A Câmara do Cartaxo vai terminar na próxima semana as alterações que irãoreforçar a cobertura Wi-Fi em nove espaços públicos, permitindo o acesso livre à Internet a todos os utilizadores com dispositivos equipados com tecnologia Wi-Fi.

Em nota de imprensa, a autarquia explica que o acesso - CMC_WIFI_FREE - é efetuado sem necessidade de qualquer registo ou senha, solicitando apenas a aceitação dos termos e condições de utilização .

Os locais onde a rede funcionará são o edifício sede do Município e a Praça 15 de Dezembro, o Centro Cultural do Cartaxo, a Biblioteca Municipal Marcelino Mesquita, o Quartel dos Bombeiros Municipais, as instalações da área de Ação Social e Saúde, a Casa Municipal da Juventude, assim como diversos espaços na Quinta das Pratas – o Auditório Municipal, as Piscinas Descobertas e a área de jardim envolvente –,e a Sala de Imprensa do Estádio Municipal.

"Éum serviço público essencial. A tecnologia que nos une e que nos aproxima, também nos divide e discrimina, acentuando diferenças socioeconómicas”, refere o presidente da Câmara do Cartaxo, Pedro Magalhães Ribeiro, para quem o acesso à Internet ainda não é generalizado, havendo famílias que não podem aceder a serviços com custos tão elevados como os de fornecedores de internet móvel.

“Embora a OCDE avance que em Portugal 98% dos alunos têm acesso a computadores com ligação à Internet, a verdade é que no nosso concelho, em média, temos ainda três alunos do ensino secundário para cada computador com este acesso, apesar de estarmos dentro da média nacional e acima de alguns municípios da Lezíria do Tejo”, avança o autarca.

O investimento da câmara no "CTX HOTSPOT" custa 150 euros mensais e, durante os primeiros três meses, com a solução ainda em teste, sem todos os equipamentos instalados e sem divulgação, esta solução digital conta já com mais de 15.500 ligações concretizadas.

salvaterraprojetosconcurso

Quatro projetos desenvolvidos por alunos do curso de eletrónica da Escola Profissional de Salvaterra de Magos (EPSM) estão na final nacional do concurso “Ciência na Escola”, da Fundação Ilídio Pinho.

Nesta 14ª edição do prémio, o júri do concurso selecionou um projeto desenvolvido por alunos do 11º ano, o “T-HeatingControl”, um equipamento colocado nos pneus dos veículos que permite detetar a temperatura do pneu, alertando o condutor, a fim de evitar o seu rebentamento.

Do 12º ano, estão em competição o “Clean Cutlery”, uma máquina que separa e esteriliza os talheres para evitar que bactérias alimentares permaneçam nos após a sua utilização e lavagem, o “Green Food Balance”, para a transformação de frutas e vegetais recolhidos em hipermercados e culturas agrícolas sem condições de comercialização, para a produção de alimento para omnívoros e herbívoros, e fertilizante orgânico para hortas ou estufas, e o “Green House”, uma estufa comunitária automatizada, em locais de baldio situados em bairros sociais, capaz de controlar fatores na produção de vegetais, tais como a irrigação, a temperatura, a humidade e a ventilação.

Na EPSM, os projetos estão a ser coordenados pelos professores José Carvalho, Olga Franco, Patrícia Silva, Vera Figueiredo, Alice Dias e Sílvia Fernandes.

Desert Challenge 2017