chamusca pinoquioavisan2017

abrantesescolaDRmanuelfernandes

A Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes, decidiu suspender o pagamento das rendas à Parque Escolar, por falhas na manutenção do edifício que se arrastam desde 2015.

A notícia é avançada pelo jornal “i”, que adianta que a direção do estabelecimento decidiu dizer “basta” a esta situação e já comunicou ao Ministério da Educação que, a partir do mês de novembro, vai reter a verba referente às rendas devidas à empresa pública responsável pela requalificação que a escola sofreu entre 2011 e 2015, e que custou qualquer coisa como 13 milhões de euros.

Anualmente, a escola paga uma renda de 500 mil euros à Parque Escolar, a que acrescem outros 100 mil euros referentes à manutenção, mas nunca foi alocado nenhum técnico responsável pela gestão das avarias que vão surgindo nos edifícios escolares.

A decisão da escola foi comunicada por carta no final da semana passada, adianta o “i”, acrescentando que, segundo Alcino Hermínio, o pagamento da renda só será retomado quando a empresa apresentar e der “início à execução de um calendário credível de manutenção e resolução dos problemas existentes”.

Em causa, segundo o diretor da Dr. Manuel Fernandes, citado pelo “i”, está “uma grande lista” de avarias e pequenas coisas que perturbam o funcionamento normal e rotineiro, entre portas e fechaduras avariadas há mais de dois anos, vidros partidos e até um descascador de batatas que nunca funcionou.

Contatada pelo mesmo jornal, a Parque Escolar disse ao “i” que “o processo de contratação de um técnico polivalente residente encontra-se em curso”, e que a manutenção do edifício “tem sido assegurada, com assistência numa base semanal, não estando em causa a resposta às necessidades da escola”.

Futebol: Jogo Coruchense x Mondenense | Fotos: João Dinis