chamusca appmicromineiro slide

cenfim frias gomes

A qualificação profissional é cada vez mais uma "ferramenta" indispensável para quem quer entrar, ou reentrar, no mercado de trabalho e quem forma tem de ter a preocupação de servir as necessidades não só dos formandos, mas também das empresas.

A convicção é de José Frias Gomes, responsável pelos pólos de Santarém e Sines do CENFIM - Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica, uma instituição que é uma referência na formação profissional, com uma taxa de empregabilidade média dos seus alunos superior a 90% e com vários cursos em que todos os que terminam têm emprego garantido.

Defensor de um modelo de ensino em que haja "um envolvimento forte e próximo" entre professor e aluno, muito distante do modelo "professor que debita matéria", José Frias Gomes considera ainda que nenhum sistema formativo tem sucesso se não estiver pensado para preencher as necessidades das empresas. "Necessitamos de gente com competência mas também com compromisso", reforça.

Responsável pelo Cenfim de Santarém desde julho do ano passado, José Frias Gomes já visitou mais de 6 dezenas de empresas da região, no sentido de perceber quais são as suas necessidades e adequar a oferta formativa dos vários cursos ministrados no CENFIM.

Esta preocupação - e a reconhecida boa formação de quem completa os cursos do CENFIM - levam a que haja uma enorme e crescente "cobiça" por parte das empresas, muitas delas ávidas de refrescar os seus quadros com funcionários que sejam verdadeiras mais-valias.

E a procura já não é só nacional. Os alunos formados em cursos como o de soldadura, em que o CENFIM tem um reconhecimento único em termos internacionais, ou de técnico de manutenção industrial (mecânica e eletromecânica), têm frequentemente propostas para trabalhar fora do país, muitas vezes com salários bem acima da média do que se paga em Portugal.

A aposta do Governo na formação profissional, com o recentemente anunciado programa Qualifica, não deixa os responsáveis do CENFIM indiferentes. José Frias Gomes revelou mesmo à Rede Regional que é sua intenção criar um centro Qualifica em Santarém e acredita que haverá "grandes novidades" já no segundo semestre deste ano. "Faremos todos os esforços para que isso aconteça e para que possamos oferecer novas propostas formativas", reforçou.

Outra palavra muito na moda é o empreendedorismo e, para fomentar esse interesse nos seus formandos, o Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica criou o CENFIM Empreende, destinado a estimular a capacidade e vontade de empreender, um conceito que José Frias Gomes diz que, às vezes, surge num cenário demasiado redutor.

"Empreender não é só criar empresas, é também estar atento e antecipar os problemas, num compromisso com a sua profissão. E para isso não é necessário ser empresário", completa.

A formação que o CENFIM disponibiliza às empresas nos seus 13 núcleos, espalhados de Norte a Sul de Portugal, divide-se por várias áreas, nomeadamente formação à medida; apoio técnico e organizacional; formação contínua – aperfeiçoamento; formação contínua certificada; formação modular certificada (por saída profissional e tipos de atividade); Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC).

Como curiosidade, refira-se que nos cerca de 30 anos de existência, o CENFIM de Santarém já realizou um total de 1.061 ações de formação, divididas por 292.672 horas de formação, ministradas por 295 formadores e em que participaram 13.706 formandos.

 

Quem é o responsável do Cenfim de Santarém?

jose frias gomesAos 57 anos, José Frias Gomes possui uma vasta carreira ligada a vários organismos públicos e privados. Formado em Engenharia Agrónoma, começou como técnico do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), de onde passou para a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), onde chegou a adjunto do então secretário-geral, o ribatejano José Manuel Casqueiro, já falecido.

Na altura da adesão de Portugal à União Europeia especializou-se em fundos estruturais, tendo posteriormente exercido funções no Ministério do Trabalho, antes de chegar ao CENFIM, onde está há cerca de uma década, com uma passagem pelo SUCH - Serviço de Utilização Comum dos Hospitais.

Com uma costela ribatejana - o pai é natural de Caxarias, no concelho de Ourém - José Frias Gomes é responsável pelo pólo de Santarém do CENFIM desde julho de 2016.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões