chamusca appcoruche sabores-tasquinhas

Economia

abrantessecestadotagusvalley

Ana Lehman, a secretária de Estado da Indústria, mostrou-se positivamente impressionada com o que viu no TagusValley, depois de ter realizado uma visita ao Parque Tecnológico do Vale do Tejo em Alferrarede, concelho de Abrantes.

“A governante inteirou-se da atividade do parque e interagiu com empresários que estão a desenvolver projetos empresariais de base tecnológica na incubadora”, explica uma nota de imprensa da Câmara de Abrantes, que acrescenta que Ana Lehman “ficou a conhecer o centro transferência tecnologia alimentar que se centra na aplicação das novas tecnologias ao sector alimentar e no desenvolvimento de novos produtos, nomeadamente através da utilização das mais recentes técnicas de conservação”.

A responsável do governo visitou ainda o LINE.IPT, o centro de investigação vocacionado para as indústrias de produção, e contactou com alunos e docentes da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes (ESTA) nos laboratórios de imagem, audiovisual e interativo.

No final da visita, Ana Lehman salientou que o Parque Tecnológico de Abrantes representa uma “excelente” infraestrutura de ligação entre o mundo empresarial e as instituições de ensino superior, apoiando o empreendedorismo e a inovação através da sua incubadora, do FabLab especializado na indústria alimentar, bem como de diversos laboratórios.

santaremnersantbioeconomia

A Nersant e o Agrocluster Ribatejo vão realizar a segunda de quatro mesas redondas dedicadas ao tema da bioeconomia no próximo dia 19 de abril, pelas 15 horas, na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Santarém (IPS).

Esta iniciativa surge no âmbito do “Bio-Ware”, um projeto que tem por mote "desenvolvimento de produtos de valor acrescentado", e pretende a capacitação das organizações para desenvolverem novos produtos e serviços derivados de resíduos e dessa forma criarem e acrescentarem valor.

“As potencialidades do valor acrescentado como uma mais-valia é uma das bandeiras do programa deste programa de sensibilização para a bioeconomia”, explica uma nota de imprensa da Nersant, que acrescenta que “o objetivo é dotar as empresas de ferramentas que visam permitir um input na sua rentabilidade e competitividade no mercado”.

Deste workshop, faz parte do programa a apresentação do projeto “Bio-Ware - Programa de Sensibilização para a Bioeconomia”, com todo o seu enquadramento, objetivos e áreas de atuação, à qual se seguirá a intervenção de Luís Girão da SPI - Sociedade Portuguesa de Inovação, com o tema "Tendências e caminhos estratégicos para as empresas".

No seguimento do programa, terá a palavra Lígia Rodrigues, do Centro de Engenharia Biológica da Universidade do Minho, com a temática "Produtos de valor acrescentado a partir de resíduos dos setores Agro-Alimentar-Florestal".

Para melhor demonstrar as potencialidades do tema central da mesa redonda, o workshop conta ainda com a intervenção da Sofalca - Sociedade Central de Produtos de Cortiça, Lda. na pessoa do seu CEO, Paulo Estrada, que irá dar a conhecer a experiência desta empresa do concelho de Abrantes no âmbito da bioeconomia.

No final, haverá um debate que permitirá a partilha de experiências e criação de rede de contactos e conhecimentos sobre o tema, moderado pela SPI.

salvaterraobrasaldeiapeixe

Os esgotos da típica Aldeia do Peixe, na margem direita do rio Sorraia, vão ser encaminhados para a Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Salvaterra de Magos.

As obras de construção do novo sistema de saneamento vão custar cerca de 627 mil euros, segundo um comunicado da Águas do Ribatejo, que prevê que a construção da estação elevatória, do emissário e rede de saneamento estejam concluídas no primeiro semestre deste ano.

“A operação em curso destina-se a requalificar e integrar a bacia drenante existente na margem direita do rio Sorraia”, explica a empresa intermunicipal em comunicado, onde acrescenta que “após a construção das infraestruturas, os efluentes serão tratados no subsistema de saneamento de águas residuais de Foros de Salvaterra”.

A estação elevatória a implantar na Aldeia do Peixe elevará o esgoto doméstico até à rede gravítica existente na Estrada das Malhadinhas, em que serão necessários cerca de 5.300 metros de coletores gravíticos e 1.600 metros de conduta elevatória.

Estão previstos cerca de 190 ramais para uma população 550 habitantes, explica ainda a Águas do Ribatejo.

“Um pequeno sistema só para tratar os esgotos da Aldeia do Peixe ou apenas alguns arruamentos dos Foros de Salvaterra que drenam os efluentes naquela bacia, não seria viável e não teria financiamento”, salienta o presidente da Câmara de Salvaterra de Magos, Hélder Esménio, que se congratulou com o avanço de uma intervenção “que permite rendibilizar meios e criar economias de escala e de valor”.

Carlos Coutinho, presidente da Câmara de Benavente explica que a decisão foi tomada depois de conversações com os moradores.

“Trata-se de um anseio antigo daquelas famílias. Uma obra importante que vai melhorar a qualidade de vida e o ambiente num local que queremos valorizar pelas suas condições naturais e pelo potencial que pode ter como ponto de um roteiro turístico”, explicou o autarca.

Cerimónia de Apresentação Santarém Cup 2018