chamusca appmicromineiro keepcalm

Economia

abranteslojadevinhosmodo

O projeto de arquitetura da loja de vinhos da Quinta do Casal da Coelheira, no Tramagal, foi selecionado pela plataforma ArchDaily, para os “2017 Building of the Year Awards”.

Assinado pelo gabinete MODO, Arquitectos Associados, dos arquitetos Pedro Costa, Rui Serrano e Ana Barral, este projeto já tinha sido já destacado pela plataforma internacional no início do ano passado, e foi agora nomeado na categoria de “Hospitalidade”.

Recorde-se que este projeto renovou e modernizou os edifícios existentes, convertidos em showroom, loja e lounge de vinhos da Quinta do Casal da Coelheira, que se dedica à agricultura e produção de vinhos há mais de 50 anos.

“A intervenção pretendeu valorizar a comunicação entre a empresa, clientes e visitantes, mostrando o cuidado e a alta tecnologia do processo de produção de vinhos desenvolvido por esta empresa”, salienta uma nota da MODO.

Os vencedores serão eleitos pelos visitantes da ArchDaily, uma plataforma de informação e divulgação da arquitetura, com base em Nova Iorque, com perto de meio milhão de visitas diárias.

abrantes incentivos

A Câmara de Abrantes apresentou esta segunda-feira, 23 de janeiro, no Parque Tecnológico do Vale do Tejo, uma campanha de estímulo ao desenvolvimento económico, que prioriza as zonas e os investimentos a realizar no concelho.

A campanha, que decorre da operacionalização do Plano Estratégico Abrantes@2020, abrange as três zonas de investimento identificadas como prioritários para o concelho de Abrantes: as zonas industriais (Abrantes, Pego e Tramagal), o centro histórico e o Parque Tecnológico do Vale do Tejo.

O documento prevê um pacote de incentivos que passam por isenções fiscais e tributárias (IMT, IMI, Derrama) para investimento empresarial, por apoios à criação de emprego qualificado no Parque Tecnológico do Vale do Tejo, por comercialização de lotes a preços reduzidos, e por apoios à instalação no Centro Histórico (rendas apoiadas).

No caso das empresas, as que se pretenderem instalar no Tecnopolo do Vale do Tejo e nos parques industriais de Abrantes, Pego e Tramagal, poderão beneficiar de preços de 1,5 euros por metro quadrado.

A presidente da autarquia abrantina, Maria do Céu Albuquerque, salientou que a missão da Câmara é “estar ao lado das empresas e dos empresários", para criar valor para a economia local, e destacou também o facto da campanha ter o duplo objetivo de atrair e fixar mais empresas e mais investimento, mas também para apoio e estímulo às empresas residentes no concelho.

A cerimónia de apresentação contou com as presenças da presidente da CCDR Centro, Ana Abrunhosa, e do secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza.

Os apoios aos investimentos podem ser conhecidos AQUI.

aguas contadores

São já mais de 700 os contadores destruídos pelo frio na área de intervenção da empresa intermunicipal Águas do Ribajo, que gere o abastecimento e saneamento básico nos concelhos de Almeirim, Alpiarça, Chamusca, Torres Novas, Salvaterra de Magos e Benavente.

Segundo a empresa, o concelho de Coruche foi o mais fustigado, com cerca de 270 ocorrências originadas pelas temperaturas negativas que desde quinta-feira atingem a região, mas há situações em todos os concelhos abrangidos.

O presidente da Águas do Ribatejo e da Câmara Municipal de Coruche, Francisco Oliveira, garante que não tem memória de cenário idêntico desde que surgiu a empresa há oito anos. “Recordo-me de haver rebentamento de contadores mas eram situações esporádicas, com esta dimensão não há registo”, explicou.

O administrador e autarca revelou que as equipas de canalizadores, operadores e técnicos estão a trabalhar em regime de permanência desde quinta -feira. “Tem sido uma maratona, quase sem descanso”, revela, fazendo questão de reconhecer publicamente "o grande esforço de todos os envolvidos que nos deixa tranquilos em relação à capacidade de resposta em cenários de crise”.

Francisco Oliveira refere que a maioria dos casos de roturas e rebentamento de contadores acontece nas zonas rurais onde os mecanismos e os tubos estão menos protegidos. “Estamos a instalar novos contadores que também são mais resistentes a estes fenómenos e iremos reforçar a proteção dos contadores e das tubagens nas novas instalações. Teremos de criar abrigos para os contadores, porque esta situação será cada vez mais frequente”, adianta.

Sem quantificar custos, o líder da AR realça o enorme custo da aquisição de contadores, equipamentos e acessórios e da mão de obra.

Para além dos colaboradores da AR a empresa recorreu a empresas prestadoras de serviços para reduzir os tempos de ausência de água para os consumidores afetados. “A prioridade é restabelecer a normalidade, o mais depressa possível. Depois iremos quantificar o valor dos danos”, disse.

A situação vivida nos sete municípios abastecidos pela Águas do Ribatejo estende-se também a Santarém. Em comunicado, a Águas de Santarém refere que devido às baixas temperaturas que se fazem sentir na região algumas infraestruturas de abastecimento de água ficaram danificadas.

Desert Challenge 2017