chamusca bibliotecatecfresh2018 slide

Economia

santaremAguasIntervencaoRuaO

A Águas de Santarém vai reabilitar o coletor de águas residuais domésticas que atravessa a circular urbana D. Luís (Rua O) na zona do hospital com recurso a técnicas inovadores que vão dispensar a abertura de vala, o que evitará também o corte da circulação numa das artérias mais movimentadas da cidade.

A empreitada vai decorrer entre os dias 15 e 19 de outubro, estando previsto o condicionamento do trânsito apenas numa das faixas de rodagem, e durante o período normal de trabalho.

Em comunicado, a empresa scalabitana explica que os trabalhos serão executados “através do método de relining, que consistirá na passagem de uma manga flexível pelo interior do coletor, inflada e moldada ao formato do coletor existente com a aplicação de resinas”.

“Após secagem, além do reforço estrutural que confere, irá restituir o normal funcionamento do coletor na condução das águas residuais do sistema em que se inclui”, lê-se no mesmo comunicado, onde a Águas de Santarém explica que uma intervenção desta natureza demoraria várias semanas a ser concluída e obrigaria ao desvio do trânsito na zona, caso se optasse pela tradicional abertura de vala.

No local, o coletor está colocado a cerca de oito metros de profundidade, e apresenta várias patologias que foram observadas depois de uma inspeção com recurso à tecnologia vídeo.

Obras na Gançaria também sem abertura de vala

No mês de outubro, a Águas de Santarém vai também arrancar com mais uma fase da empreitada de reabilitação do sistema de condutas de água na Maqueda, freguesia da Gançaria, onde será usado o “método pipe bursting, sem abertura de vala em toda a extensão do traçado”.

A empreitada, com a duração de 120 dias, prevê a substituição das duas condutas principais no sistema da Gançaria, no troço entre a Rua Dr. Silvino Sequeira e os reservatórios.

No que se refere à “reabilitação de infraestruturas de maior fragilidade ao nível do abastecimento”, a Águas de Santarém “procedeu à substituição das condutas, elevatória e de distribuição de água, entre a captação da Gançaria e a Rua 8 de Setembro, e entre o limite do concelho e Mosteiros”, bem como a repavimentação da estrada que liga o concelho a Mosteiros, informa ainda a empresa.

nersantbusiness2018empresasins

Com delegações de 25 países já confirmadas, a edição de 2018 do Encontro Internacional de Negócios do Ribatejo – Nersant Business – vai receber, pela primeira vez, representantes da Arábia Saudita, Finlândia e Qatar.

Estes países viram neste encontro “uma excelente oportunidade de encetar relações comerciais com Portugal e a região do Ribatejo”, explica uma nota de imprensa da Nersant, que acrescenta que a associação empresarial está ainda em contacto com dezenas de empresas estrangeiras com vista a poder trazer à região empresas que se encaixem no perfil do tecido empresarial português já inscrito” no evento.

O Nersant Business volta a realizar-se no Hotel dos Templários, em Tomar, entre os dias 15 e 17 de outubro, mantendo-se o modelo habitual seguido nos últimos anos: dois dias de reuniões de negócio e momentos de networking empresarial, e um dia para visitas às empresas agendadas no decorrer dos encontros B2B.

farmacia obras

IMAGEM DE ARQUIVO / ILUSTRATIVA

30,6 por centos das farmácias do distrito de Santarém estão em falência ou sob penhora. Os dados são do estudo “Sustentabilidade da Dispensa de Medicamentos em Portugal”, realizado pela Universidade de Aveiro (UA) em colaboração com a sociedade de revisores oficiais de contas Oliveira, Reis & Associados, e mostram um panorama preocupante, em que Santarém surge como segundo pior distrito, só atrás de Portalegre (34,8%).

O estudo conclui que as farmácias portuguesas têm prejuízo na dispensa de medicamentos comparticipados pelo Estado à população. Tendo por base dados reais de uma amostra de 1.470 farmácias, em 2015 e 2016, o estudo concluiu que são perdidos sete cêntimos por cada dispensa de medicamentos comparticipados.

Os medicamentos comparticipados representam 72% das vendas totais das farmácias. Os preços e as margens sofreram cortes no valor de 286 milhões de euros até 2016.

Os dados revelam ainda que, em agosto deste ano, 19 distritos do país têm mais de 10% da totalidade das suas farmácias com ações de insolvência e penhora.

Voltando a Santarém, 12,9% das farmácias estão em situação de insolvência e 17,7 em processo de penhora.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis