chamusca ascensao2017fna2017

Economia

ouremfavasfestival

O adágio popular “favas: maio as deu, maio as levou” é o mote para a segunda edição do festival gastronómico “Vamos às Favas a Ourém”, que vai decorrer entre os dias 5 e 29 de maio, às sextas-feiras, sábados e domingos.

Os restaurantes aderentes a esta iniciativa e os pratos que cada um vai colocar nas ementas serão revelados no próximo dia 6 de maio, às 17 horas, na Casa do Administrador / Museu Municipal de Ourém, durante a apresentação oficial do certame.

Neste festival, “cada chefe de cozinha promete oferecer experiências gastronómicas únicas, onde a fava será saboreada das mais variadas formas, desde entradas a sobremesas”, antecipa uma nota de imprensa da Câmara de Ourém.

Além do município, a iniciativa é organizada pela empresa municipal “OurémViva”, a Escola de Hotelaria de Fátima e a Associação Empresarial Ourém-Fátima (ACISO).

santaremcnemaazeitesmel

O concurso nacional de mel promovido pelo Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (Cnema), em Santarém, está marcado para o próximo dia 12 de maio, ao passo que a competição dos melhores azeites produzidos em Portugal realiza-se entre os dias 19 e 22 do mesmo mês.

O objetivo principal da 8ª edição do concurso nacional de mel, que a Feira Nacional de Agricultura realiza em conjunto com a Federação Nacional dos Apicultores de Portugal (FNAP), “é dar a conhecer e premiar os méis portugueses de elevada qualidade, contribuindo para a sua promoção e divulgação, junto dos consumidores”, salienta uma nota de imprensa do Cnema.

Já o concurso de azeites de Portugal, co-organizado pelo Centro de Estudos e Promoção do Azeite do Alentejo, é a primeira competição nacional a ser reconhecida pelo Conselho Oleícola Internacional, e acolherá ainda a primeira edição do Prémio Mario Solinas Portugal.

A prova vai contar “com o contributo dos mais brilhantes provadores nacionais e estrangeiros, em vários dias de provas cegas, para distinguir os melhores azeites portugueses”, lê-se na mesma nota de imprensa.

Os vencedores serão divulgados no decurso do Salão “Prazer de Provar” integrado na 54ª Feira Nacional de Agricultura, que se realiza em junho, no Cnema.

santarem zona industrial

A Câmara de Santarém aprovou esta segunda-feira, 24 de abril, o Regulamento de Concessão de Incentivos ao Investimento, uma medida criada com o objetivo de atrair e apoiar empresas que apostem em setores inovadores e contribuam para o desenvolvimento do concelho.

O regulamento abrange projetos de investimento de iniciativa privada que visem a sua instalação, relocalização ou ampliação no concelho de Santarém, sendo suscetíveis de apoio os projetos de investimento que sejam relevantes para o desenvolvimento sustentável do concelho, contribuam para o fortalecimento da cadeia de valor do concelho e da região e para a diversificação do tecido empresarial local, nomeadamente em sectores inovadores e/ou de base tecnológica.

O documento visa ainda apoiar projetos que contribuam para o reordenamento agrícola, industrial, comercial ou turístico do concelho, que sejam geradores de novos postos de trabalho ou signifiquem a manutenção de postos de trabalho existentes e/ou o aumento da sua qualificação.

Suscetíveis de apoio são também os projetos que assentem em processos de inovação produtiva, designadamente na produção de novos bens e serviços no concelho e no país ou melhoria significativa da produção atual através da transferência e aplicação de conhecimento, na expansão de capacidades de produção em sectores de alto conteúdo tecnológico ou com procura internacional dinâmica, na inovação de processo, organizacional e de marketing, e no empreendedorismo qualificado, privilegiando a criação de empresas baseadas em conhecimento ou de base tecnológica ou em atividades de alto valor acrescentado.

Os incentivos poderão passar pela isenção, total ou parcial, de taxas municipais e pela concessão de benefícios fiscais nos impostos a cuja receita o município tenha direito, num valor proporcional ao montante do investimento, ao número de postos de trabalho criados ou mantidos e às externalidades positivas geradas pelos projetos, afirma o documento.

A autarquia compromete-se ainda a ser célere e eficaz nos procedimentos administrativos relacionados com iniciativas empresariais de interesse municipal e valorizará o número de postos de trabalho a criar ou manter, sobretudo se forem qualificados, tendo em conta a relação entre o número de licenciados e os postos de trabalho e a formação profissional e qualificação contínua.

Podem candidatar-se aos incentivos previstos neste regulamento as empresas ou empresários individuais legalmente constituídos e em atividade que, à data da apresentação da candidatura tenham a sua situação regularizada relativamente a contribuições e impostos, apresentem uma situação económico-financeira equilibrada ou, tratando-se de projetos de investimento de elevada densidade tecnológica, demonstrem ter capacidade e evidências de financiamento do projeto de investimento;

Além de não estarem em insolvência, os promotores terão de apresentar um projeto de investimento que contemple a criação ou manutenção de, no mínimo, 10 postos de trabalho ou um montante de investimento não inferior a 250 mil euros.

Os pedidos de incentivos deverão ser apresentados junto da Câmara Municipal, através de requerimento próprio.

Balonismo em Coruche - Fotos João Dinis