chamusca princepezinhocms banner carnaval

Economia

O Agrocluster Ribatejo, uma associação de empresas e entidades do setor agroindustrial situada no distrito de Santarém, passou a integrar o AgriRenaissance - "Innovation-driven agri-food sectors for a European industrial renaissance", uma estrutura que pretende promover o desenvolvimento de toda a cadeia agroalimentar em cinco regiões da Europa.

O projeto, financiado pelo programa europeu Interreg EUROPE, é liderado pelo Governo regional da La Rioja - Espanha, e tem como parceiros, para além do Agrocluster Ribatejo, o CTIC - CITA Logronho - Espanha, o Ministério da Agricultura da Lituânia - Lituânia, a Agência para o Desenvolvimento da região da Mazovia - Polónia, o Governo Regional de Varsóvia - Polónia e a Região da Calábria - Itália.

O projeto quer valorizar as sinergias entre estas regiões de modo a potenciar o desenvolvimento de toda a cadeia agroalimentar, em consonância com os objetivos da nova política industrial Europeia. O objetivo é influenciar e contribuir para a elaboração das políticas europeias, nomeadamente na construção das futuras oportunidades de financiamento europeu.

O acordo de subvenção do projeto tem a duração de quatro anos.

barquinhapostocarregamentoeletrico

A Barquinha já tem em funcionamento um posto de carregamento de veículos elétricos, instalado na Rua Marechal Carmona, em frente à Igreja Matriz da vila.

Com capacidade para dois veículos, trata-se de um carregador rápido com um tempo de 20 a 30 minutos.

Segundo uma nota de imprensa da autarquia, os carregamentos serão gratuitos nestas primeiras semanas de período experimental, após o qual “passarão a ser praticados os preços comuns à restante rede pública nacional”.

A medida surgiu na sequência do Protocolo de Colaboração Institucional “Promoção da Mobilidade Elétrica na Região do Médio Tejo” celebrado entre a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) e a MOBI.E (Mobilidade Elétrica) para a instalação de postos de carregamento de veículos elétricos nos municípios da CIMT.

Na primeira fase deste projeto piloto foram abrangidos os municípios de Vila Nova da Barquinha, Abrantes, Entroncamento e Sertã, que dispõem de duas tomadas com 22 kW de capacidade cada.

A Câmara Municipal da Barquinha criou também um “plano municipal para a mobilidade elétrica”, um documento que enquadra e programa as ações e medidas de incentivo, e onde se destacam a criação de estacionamentos dedicados para veículos elétricos e a adoção de veículos elétricos na renovação da frota municipal.

salvaterramarinhaisobrasaguasrib

A Águas do Ribatejo vai investir cerca de 1,6 milhões de euros em Marinhais, concelho de Salvaterra de Magos, em obras que se dividem entre a requalificação da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), a remodelação da Estação Elevatória da Rua de Macau e melhorias na rede do sistema de tratamento.

Segundo uma nota de imprensa da empresa intermunicipal, “o concurso público foi publicado em Diário da República a 7 de dezembro, aguardando-se a entrada das propostas concorrentes”, para uma empreitada que tem um ano de prazo de conclusão dos trabalhos, “seguindo-se o período de arranque dos novos equipamentos”.

As obras de melhoria e ampliação do Sistema de Tratamento de Águas Residuais de Marinhais, no concelho de Salvaterra de Magos, irão avançar no próximo ano. A obra prevê a construção de quase cinco quilómetros de rede nova e a remodelação de 2,5 quilómetros da rede existente, bem como a melhoria da capacidade sanitária da ETAR.

“A intervenção na ETAR resulta da necessidade de reforçar a capacidade hidráulica da obra de entrada e de melhorar da capacidade sanitária da fase final de tratamento de modo a garantir a qualidade do efluente tratado que será lançado para as linhas de água que seguem para o Rio Tejo”, explica a nota da Águas do Ribatejo.

Na Estação Elevatória da Rua de Macau será feita “uma melhoria que irá compatibilizar a infraestrutura com o caudal afluente e com o enquadramento urbano da mesma”, numa intervenção que implicará “ainda a construção de nova conduta elevatória e caixa de transição, tendo em conta a necessidade de elevar o caudal de ponta”.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves