chamusca appmicromineiro slide

Economia

cartaxovalleyparkcomercializacao

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, foi o convidado de honra da sessão de apresentação das condições de comercialização da Área de Localização Empresarial (ALE) do Falcão – Valleypark, cujas infraestruturas já podem ser negociadas com os investidores interessados.

Representando um investimento municipal superior a 2,3 milhões de euros, a ALE tem uma área infraestruturada de 155 mil metros quadrados, e é constituída por 63 lotes de 500 e de 1000 m2, todos com possibilidade de emparcelamento.

A ALE do Falcão – Valleypark “é um bom exemplo do bom momento que o Cartaxo vive”, referiu Manuel Caldeira Cabral durante a sessão, que reuniu empresários do concelho e da região, autarcas, deputados e responsáveis de instituições públicas e privadas, entre os quais os presidentes da CCDR Lisboa e Vale do Tejo e da CCDR Alentejo, ou a Direção Executiva do Fundo de Apoio Municipal.

As condições de comercialização foram apresentadas pelo presidente da Câmara do Cartaxo, Pedro Magalhães Ribeiro, e por José Eduardo Carvalho, presidente do conselho de administração da ALE do Falcão - Valleypark.

“Este é um dos dias mais importantes deste mandato”, referiu o responsável do município, explicando que “resolver os enormes problemas que esta ALE enfrentava em 2013, pela sua complexidade, foi um dos maiores desafios que enfrentámos”.

José Eduardo Carvalho destacou a importância competitiva desta ALE no que se refere ao seu ”modelo e legislação de licenciamento e tramitação administrativa de instalação de empresas”.

A comercialização dos lotes que “finalmente se vai poder iniciar” foi possível pelo recente registo do plano de pormenor do loteamento, assim como pelo facto de a sociedade gestora ter visto os seus créditos à banca adquiridos por um grupo de investidores que “vai dinamizar o projeto”.

santaremFersantFNA

A edição de 2017 da Fersant, a feira empresarial organizada pela Nersant, vai colocar 70 empresas em 115 espaços da nave B do Cnema, durante a Feira Nacional da Agricultura, que se realiza de 10 e 18 de junho, em Santarém.

A exemplo dos anos anteriores, a Nersant volta a registar lotação esgotada para o espaço disponível, registando também um aumento de empresas interessadas em expor ou seus produtos e serviços, devido às crescentes oportunidades comerciais que nele participam.

Segundo uma nota de imprensa da Nersant, a Fersant “tem vindo a assumir um papel fundamental no que ao networking empresarial diz respeito”, uma vez que “as empresas têm oportunidade de aumentar efetivamente a sua carteira de clientes, pois este evento é um centro privilegiado de contactos comerciais com oportunidade para a concretização de inúmeros encontros entre clientes e fornecedores, atuais e potenciais e até, eventuais agentes e distribuidores”.

“A melhoria e promoção da imagem de marca e prestígio dos produtos, transmitindo mensagens sobre as apostas das suas estratégias e políticas em matéria de qualidade, meio ambiente, inovação, diversificação, flexibilização produtiva e desenvolvimento de tecnologias de ponta é outra das mais-valias do certame empresarial”, acrescenta a mesma nota.

nersantcontasAG

O Relatório e Contas de 2016 da Associação Empresarial da Região de Santarém e a proposta da atual direção para a aplicação dos resultados foram aprovados numa Assembleia Geral que decorreu no passado dia 29 de maio, em Torres Novas.

Coube à presidente da direção da Nersant, Maria Salomé Rafael, dar início à reunião com uma resenha da atividade durante o ano de 2016, tendo dado destaque ao empreendedorismo, com a inauguração da Startup Santarém, e à continuidade do trabalho de apoio aos empreendedores que pretendem constituir empresas na região do Ribatejo.

A responsável sublinhou ainda o trabalho que a Nersant desenvolveu no apoio à internacionalização das empresas, com enfoque nas missões empresariais, que levaram dezenas de empresas a mercados identificados como pertinentes.

Neste campo, recordou também o “Nersant Business – Encontro Internacional de Negócios do Ribatejo” que contou este ano com a participação de 26 delegações estrangeiras.

Em jeito de balanço, Maria Salomé Rafael destacou o reforço da capacidade associativa da Nersant, que integrou no ano transato mais 122 empresas, chegando ao fim de 2016 com um total de cerca de 2.500 sócios.

Após a resenha da atividade, o Relatório e Contas referente a 2016 foi aprovado por unanimidade, assim como foi também aprovada a proposta da direção para a aplicação de resultados, cujo valor ronda os 133 mil euros.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões