app chamuscabanner festas coruche

Economia

torresnovasfrutossescos

A 33ª edição da Feira Nacional dos Frutos Secos de Torres Novas realiza-se este ano entre os dias 28 de setembro e 7 de outubro, dividida entre a Praça 5 de Outubro e Praça dos Claras.

A Câmara Municipal de Torres Novas, que organiza o evento, abriu as inscrições para os expositores interessados em participar, que podem apresentar as suas candidaturas até ao próximo dia 12 de agosto.

“Este é um evento de cariz tradicional, que espelha uma aliança entre a tradição e a inovação, conjugando objetivos de diferenciação e de qualidade, de transmissão de conhecimento e de envolvimento da comunidade torrejana e dos visitantes”, lê-se numa nota de imprensa da autarquia, que acrescenta que o certame “tem como principais objetivos dinamizar e dignificar o setor dos frutos secos e passados, criar momentos etnográficos representativos da cultura rural local, e afirmar o Figo Preto de Torres Novas enquanto produto diferenciador e de identidade local”.

As normas das candidaturas e os respetivos anexos (ficha de inscrição; planta do evento; requisitos básicos aplicáveis aos estabelecimentos de restauração e/ou bebidas; termo de aceitação) estão disponíveis na página da Câmara de Torres Novas.

abranteschambelempresa

A Chambel, uma empresa de móveis e eletrodomésticos que está instalada há vários anos no Parque Industrial de Abrantes, vai expandir o seu negócio e alargar a atividade empresarial.

A Câmara de Abrantes já aprovou a sua candidatura à aquisição de um lote de terreno, localizado no parque, com a área de 6.477 m2, que vai ser adquirido por um valor que ronda os 32 mil euros.

Esta empresa, que tem sede na Comenda, em Gavião, pretende alargar a atividade empresarial através da construção de um novo pavilhão para exposição e venda, prevendo-se a criação de mais 4 postos de trabalho.

coruche ponte

Foi publicado esta segunda-feira, 23 de julho, em Diário da República, a Proposta de Regulamento de Incentivo ao Comércio Tradicional «Lojas com Gente», uma iniciativa da autarquia que pretende incentivar o comércio tradicional.

Aprovada na reunião do executivo municipal coruchense de 13 de junho, a proposta de regulamento estará agora em discussão pública durante um mês, podendo ser consultada no site oficial da câmara em http://www.cm-coruche.pt.

O regulamento define as formas e regras de apoio a conceder a iniciativas para a instalação de lojas de comércio tradicional no Centro Histórico de Coruche e para a modernização das lojas existentes no concelho.

O apoio a conceder consubstancia-se em dois tipos de apoio a fundo perdido: um no que concerne à instalação, indexado à renda do estabelecimento, tendo por base um contrato de arrendamento previamente celebrado; e outro que respeita à modernização e requalificação de espaços existentes;

Poderão ser apoiadas as iniciativas que, cumulativamente, contribuam para a criação de novos postos de trabalho e para a diversificação do tecido comercial tradicional.

No caso do apoio à renda, a cada candidatura aprovada é atribuído um apoio mensal a fundo perdido, não podendo o mesmo ultrapassar os 200euro por cada estabelecimento comercial, sendo que este apoio terá a duração máxima de 6 meses, contados desde a data da instalação.

Os apoios à modernização e requalificação não poderão ultrapassar os 2.500 euros e poderão incidir em estudos e apoio na elaboração de candidaturas; obras de instalação, beneficiação e/ou requalificação; investimento em equipamentos e ações materiais de promoção e marketing.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis