chamusca natalmicromineiro slide

Categoria: Economia

ecoleziria

A Ecolezíria, empresa intermunicipal para o tratamento de resíduos sólidos, apresenta esta terça-feira, 27 de novembro, um projeto de recolha seletiva de resíduos porta-a-porta em 21 mil alojamentos dos seis municípios aderentes - Almeirim, Alpiarça, Benavente, Cartaxo, Coruche e Salvaterra de Magos.

Criada inicialmente para gerir o aterro da Raposa, encerrado no Verão de 2015, a Ecolezíria sofreu uma alteração de estatutos, assumindo os municípios a totalidade do capital social (tinham apenas 51% e os restantes 49% estavam na posse de privados) alargando o seu âmbito de atuação a outros municípios interessados.

Além deste projeto de recolha seletiva de resíduos porta-a-porta, desenvolvido em conjunto com a associação ambientalista Zero, está ainda prevista a recolha de resíduos orgânicos em 14 mil alojamentos de quatro desses concelhos (Almeirim, Cartaxo, Coruche e Salvaterra de Magos).

Segundo a agência Lusa, que cita o presidente do Conselho de Administração da empresa, Dionísio Mendes, os dois projetos, da ordem dos 900.000 euros, são cofinanciados pelo Programa Operacional para a Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR), tendo a Zero sido escolhida para colaborar na componente de sensibilização e divulgação do projeto"

De acordo com a mesma fonte, a recolha seletiva porta-a-porta vai, nesta fase, abranger 30% dos alojamentos existentes, num total de cerca de 40 mil pessoas num universo de 123 mil habitantes dos seis concelhos.

Ao longo do primeiro semestre de 2019 será feita uma campanha de sensibilização, com reuniões com juntas de freguesia, associações, coletividades e ações de contacto direto com os cidadãos, que serão convidados a preencher um inquérito para se conhecerem os seus hábitos de reciclagem e apelar à sua participação.

Os habitantes vão depois receber baldes para a separação dos resíduos orgânicos e sacos reutilizáveis para a separação dos resíduos em casa e sacos codificados para separação de papel e de plásticos, que serão postos à porta para recolha em diferentes dias da semana.

Nesta primeira fase, os aderentes vão receber senhas ou vales-brinde que podem ser usados em compras no comércio local, sendo objetivo, a prazo, deduzir o valor correspondente ao peso e volume do lixo separado na tarifa fixa destinada à recolha de resíduos que consta da fatura da água.

O projeto prevê ainda a distribuição de 7.500 compostores domésticos junto dos alojamentos incluídos na tipologia de moradia.

Para as zonas rurais, onde a dispersão das habitações tornaria demasiado onerosa a recolha porta-a-porta, a empresa projeta reforçar o número de ecopontos, aumentando o rácio por número de habitantes.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves