chamusca natalmicromineiro slide

Categoria: Economia

santaremnersantconfbio

O encerramento do projeto “Bio-Ware”, que tem vindo a ser promovido pela Nersant e pelo Agrocluster Ribatejo, vai encerrar com uma conferência subordinada ao tema “Food Defende”, no dia 27 de junho, na Startup Santarém, entre as 15 e as 17 horas.

Nesta conferência final, “serão apresentados os resultados das atividades do projeto, e terá lugar a discussão conjunta de questões de valorização e comercialização dos resultados científicos na área da Bioeconomia Verde e Bioeconomia Branca”, explica uma nota de imprensa da Nersant.

Na presença da presidente da direção da Nersant, Maria Salomé Rafael, e do presidente do Agrocluster, Carlos Lopes de Sousa, a iniciativa inclui também a entrega de prémios aos galardoados no âmbito dos concursos de ideias de negócio realizados ao abrigo do projeto.

Recorde-se que, ao longo do “Bio-Ware”, “foram desenvolvidos estudos de casos e identificadas empresas e redes nacionais e internacionais ligadas a este universo, bem como, a oportunidades de atividades ligadas à Bioeconomia”, acrescenta a mesma nota.

Entre os casos de sucesso que vão ser apresentado, está a FermALG, que aposta na comercialização de microalgas como um dos produtos com maior potencial na alimentação humana, animal e cosmética, da A4F, que trabalha na área da investigação e desenvolvimento de projetos de bioengenharia para a produção industrial de microalgas, e ainda da VALORBIO, que aposta na valorização de resíduos através de zonas húmidas construídas modulares usadas para tratamento de águas residuais.

Em cima da mesa estará também uma intervenção sobre “Food Defense”, um conceito que aborda todas as atividades para prevenir a contaminação acidental ou intencional dos produtos alimentares por agentes biológicos, químicos, ou radioativos no decorrer da sua produção e distribuição.

“Associado a este conceito, estão, entre outros, a fraude alimentar, a segurança e a qualidade alimentar que importam ser discutidos de forma a garantir a não adulteração dos produtos alimentares ao logo da cadeia produtiva e obter assim quantidades de produtos confiáveis e com qualidade para um consumidor cada vez mais exigente e informado, num mercado nacional e internacional competitivo”, explica a Nersant.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves