chamusca bibliotecatecfresh2018 slide

Categoria: Economia

 cafecop

A empresa Cafécop, que atua na área de Vending (máquinas de venda automática), vai construir novas instalações no Valleypark – Parque de Negócios do Cartaxo, prevendo criar mais 36 postos de trabalho até ao final do ano.

A empresa, criada no Cartaxo em 2002 mas que tem sede fiscal em Lisboa, vai construir novas instalações, que deverão estar concluídas em 2019. O contrato-promessa de compra e venda do terreno, situado no Parque de Negócios do Cartaxo, foi assinado esta segunda-feira, dia 4 de junho, na Câmara do Cartaxo.

O projeto, que inclui a mudança da sede social da empresa para o Cartaxo, em janeiro de 2019, prevê um investimento de 1 milhão de euros. As obras vão ter início no segundo trimestre de 2019 e a empresa quer estar instalada no Valleypark antes do final desse ano.

Atualmente a Cafécop dá emprego a 64 pessoas, a maioria que inicia o seu trabalho cerca das quatro da manhã, que se distribuem por 21 rotas de distribuição, a grande maioria na zona de Lisboa.

“Ter a sede da empresa no Cartaxo, a 30 ou 40 minutos dos nossos clientes, permite-nos manter todos os postos de trabalho que temos no Cartaxo, porque os trabalhadores têm de residir perto da sede”, para além “dos ganhos de eficácia e eficiência em termos de gestão de clientes, de recursos humanos e de logística”, explica Frederic Alcaraz, fundador da Cafécop, que gere com o apoio da família.

A proximidade à área metropolitana de Lisboa, quer ao Nó de Acesso à A1 e ligação à A23, quer ao facto do Cartaxo, do ponto de vista de classificação regional para acesso a fundos comunitários,  estar integrado na NUTS II Alentejo, deu uma importante ajuda neste investimento para expansão do negócio.

Durante a cerimónia de assinatura do contrato, o presidente da Câmara do Cartaxo, Pedro Magalhães Ribeiro, não escondeu a sua satisfação pela possibilidade de se poder iniciar a comercialização da Área de Localização Empresarial, que considerou uma das notícias mais importante para o Cartaxo nos últimos 20 ou 30 anos.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis