chamusca bibliotecatecfresh2018 slide

Categoria: Economia

aguasribatejoparceiroprivado

A assembleia geral da Águas do Ribatejo aprovou por unanimidade uma proposta de metodologia para alteração dos estatutos e para a duplicação do capital social, que vai passar para mais de 13,7 milhões de euros, mantendo-se as percentagens de participação de cada município, sem parceiros privados.

A reunião foi realizada no passado dia 28 de março, tendo os sete municípios, segundo uma nota de imprensa da empresa intermunicipal, aprovado “o relatório de gestão e contas de 2017, cujo exercício terminou com um resultado líquido de 2.166.172 euros, depois do pagamento dos impostos”.

Os sete presidentes de câmara definiram também os passos a dar no processo de alteração dos estatutos e aumento de capital, em que as respetivas propostas serão remetidas para apreciação nas assembleias municipais de cada concelho.

“Após a apreciação nas sete assembleias, a proposta final baixa à Assembleia Geral da AR para aprovação dos novos estatutos”, explica a mesma nota.

“Este é o momento de garantirmos que a Águas do Ribatejo será uma empresa de capitais exclusivos dos municípios, reforçando um modelo de gestão adequado para um serviço público imprescindível para as 150 mil pessoas que vivem nos sete concelhos”, explicou o presidente da Assembleia Geral, Pedro Ribeiro, que representa o município de Almeirim.

Pedro Ribeiro defende a alteração dos estatutos desde a sua entrada nos órgãos sociais da Águas do Ribatejo por entender “que a entrada de privados iria alterar o modelo de gestão, com um reforço da vertente empresarial, com prejuízos para os munícipes”.

A assembleia geral fixou também que será necessária uma maioria de três quartos dos votos para alterar os estatutos ou dissolver a sociedade.

Os sete acionistas acordaram ainda que a duração do mandato dos órgãos sociais da AR será de quatro anos. Todos os representantes exercem funções sem remuneração ou qualquer senha de presença como acontece desde a entrada em funcionamento da empresa.

Francisco Oliveira, presidente do conselho de administração, em representação do concelho de Coruche, congratulou-se com os consensos obtidos na assembleia, e realçou os bons indicadores evidenciados no relatório de gestão e contas.

“Apresentamos um resultado muito interessante, com um aumento de 6,4% no volume de negócios e de 36% no resultado líquido, ou seja, mais 574 mil euros em relação a 2016”, disse o autarca, acrescentando que, no quadro da operacionalidade, a redução das perdas de água reais caiu para os 28%, e a manutenção dos indicadores de qualidade no abastecimento de água e no tratamento de águas residuais andou muito perto dos 100%.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis