chamusca apptagus

Categoria: Economia

benaventesamoranovaETAR

A nova Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Samora Correia terá um custo que ronda os 4,7 milhões de euros, e vai permitir eliminar as estações em fim de vida nesta freguesia do concelho de Benavente.

A ETAR de grande dimensão, segundo uma nota de imprensa da Águas do Ribatejo, será construída na Herdade de Palhavã, no Porto Alto, e serão também “construídas três novas estações elevatórias e mais de uma dezena de quilómetros de emissário e condutas para transporte do efluente a tratar”.

“O novo sistema de saneamento prevê que três das atuais ETAR sejam desativadas”, explica o mesmo comunicado, onde a empresa adianta que o concurso público para a empreitada já foi publicado em Diário da República e no Jornal Oficial da União Europeia, com um prazo de receção de propostas até 4 de setembro.

Com a sua entrada em funcionamento, “serão desativadas as ETAR de Quinta dos Gatos, Bordalo Pinheiro e Pendente 2 (Porto Alto), cujas capacidades e eficiências não são satisfatórias. Tratam-se de estações de primeira geração que estão no final da sua vida útil”, explica a empresa, acrescentando que o equipamento “será construído numa zona de charneca afastada dos aglomerados urbanos e próxima do rio Sorraia onde serão feitas as descargas das águas tratadas”.

O novo Sistema de Tratamento de Águas Residuais de Samora Correia tem, nesta fase, um horizonte temporal de 30 anos e capacidade para receber o efluente doméstico produzido por uma população de 18.550 pessoas dos aglomerados populacionais de Arados, Porto Alto e parte de Samora Correia.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões