chamusca apptagus

Categoria: Economia

santaremFNApresidenteCAP

“A Feira Nacional da Agricultura e a Agroglobal são certames diferentes, destinam-se a públicos diferentes e não são concorrentes diretos”, segundo Eduardo Oliveira e Sousa, o presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP).

Questionado sobre o facto da Agroglobal poder ter algum impacto negativo na realização da próxima edição da Feira Nacional da Agricultura, em 2018, sobretudo a nível dos grandes expositores de maquinaria, o responsável afirmou que não acredita que isso se possa verificar.

“São feiras independentes, com características muito diferentes. A Feira da Agricultura tem um caráter mais expositivo, enquanto a Agroglobal é uma feira de demonstração, vocacionada para determinadas culturas e para outro público”, explicou Oliveira e Sousa na conferência de imprensa que serviu para fazer o balanço da 54ª edição da FNA.

“Sou também produtor e não vejo onde haja uma concorrência direta”, concluiu o responsável.

“A prova disso é que a Agroglobal já conta várias edições e a Feira da Agricultura tem vindo sempre a crescer em termos de lucros e de visitantes”, acrescentou Vasco Gracias, o diretor executivo do Cnema, para quem este é um cenário que deverá continuar a “verificar-se nas próximas edições”.

Para Luís Mira, o secretário-geral da CAP, “até é bom para o sector que existam muitas feiras, pois isso só prova a sua vitalidade e contribui para atrair mais público”.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões