chamusca appelgalego natal2017

Economia

aguasribatejo10anos

A Águas do Ribatejo assinalou o seu 10º aniversário esta quarta-feira, 14 de dezembro, uma data que fica marcada pela inauguração de duas estações de tratamento de águas residuais (ETAR’s) em Samora Correia e em Benavente, e o anúncio de novas empreitadas no concelho de Torres Novas.

Antes das inaugurações, a empresa intermunicipal realizou uma sessão no Centro Cultural de Samora Correia que juntou os atuais presidentes de Câmara dos sete municípios que a compõem e alguns dos antigos autarcas que estiveram na génese da criação do projeto Águas do Ribatejo.

Na presença do secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, Sérgio Carrinho, da Chamusca, Dionísio Mendes, de Coruche, Joaquim Rosa do Céu, de Alpiarça, Joaquim Ganhão, de Benavente, e António Torres, na altura administrador delegado da antiga CULT (atual CIMLT), recordaram parte da história e os passos dados que levaram à constituição da empresa, que ainda hoje é um projeto inovador a nível nacional.

Esta sessão contou ainda com a presença do presidente da ERSAR (a entidade reguladora do secto), Orlando Borges, do ex-ministro do Ambiente, Francisco Nunes Correia, e do presidente do Grupo de Apoio ao PENSAAR 2020, Diogo Faria de Oliveira.

À tarde, decorreram as inaugurações das ETAR da Murteira e da Quinta do Papelão, e o lançamento da primeira pedra da ETAR de Samora Correia, um investimento de 4,6 milhões de euros.

Estes investimentos inserem-se no esforço de recuperar o "défice de cobertura" em matéria de saneamento, uma vez que a região está "razoavelmente bem dotada" em termos de abastecimento de água, explicou Francisco Oliveira, o presidente do Conselho de Administração da Águas do Ribatejo.

Francisco Oliveira adiantou que prossegue "o namoro" com outros dois municípios da região -- Santarém e Golegã -, uma vez que a empresa tem capacidade para servir um universo entre os 200.000 e os 250.000 clientes, ganhando todos com a escala que a Águas do Ribatejo passaria a ter.

vinhos prova

O vinho é um dos 70 produtos da região com potencial de exportação para a Austrália. A conclusão é de um estudo realizado pela Associação Empresarial da Região de Santarém (Nersant), que está a realizar estudos de mercado onde são identificados os produtos com maior potencial de exportação para diversos mercados.

De acordo com o estudo feito para o mercado australiano, o setor que apresenta maior potencial de incremento das exportações é o dos produtos das indústrias alimentares, bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres, tabaco e seus sucedâneos manufaturados. A cerveja, os produtos de padaria, o ketchup e o vinagre são outros exemplos de potencial sucesso na Austrália.

Além da identificação dos produtos com maior potencial, o projeto Exportintelligence tem ainda como objetivo efetuar o levantamento dos principais procedimentos e eventuais barreiras de acesso a mercados, para facilitação do acesso das empresas da região, dando-lhes ferramentas de prévia análise e preparação antes de se abordarem esses novos mercados.

Estão ainda em preparação outros estudos, referentes aos mercados de Moçambique, Marrocos, Colômbia, Gana, Canadá, Turquia, México, Chile, e Polónia.

As empresas interessadas em conhecer na íntegra estes estudos, devem solicitar o mesmo à NERSANT, através dos contactos Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou 249 839 500.

coca-cola

O Jardim da Liberdade, em Santarém, acolhe esta quinta-feira, 14 de dezembro, às 11h30, as comemorações dos 40 anos da chegada da Coca-Cola a Portugal, iniciativa que inclui a exposição de uma icónica garrafa “contour” em grandes dimensões decorada pelo artista visual Miguel Caeiro, conhecido por RAM.

Miguel Caeiro foi escolhido para levar a cabo a decoração original de 20 garrafas com 2,5 metros de altura para poder devolver à população de cada distrito e regiões autónomas, sob a forma de obra de arte, a ligação emocional, carinho e fidelidade à Coca-Cola.

O artista decidiu trabalhar o sentido humano e a essência colorida da marca, exibindo estes 40 anos sob a forma de 40 círculos, que representam não só toda a nação, mas também todas as raças presentes em Portugal.

Futebol: Jogo Coruchense x Mondenense | Fotos: João Dinis