chamusca baguncadabanner tasquinhas2017

Economia

santaremaguasdesantarem

Os resultados operacionais da Águas de Santarém registaram um aumento superior a 200 mil euros em 2016, o que se traduz num crescimento percentual de cerca de 8% em relação ao exercício do ano anterior.

Os números constam do Relatório e Contas da empresa municipal, que foi apresentado e aprovado na última reunião da Câmara de Santarém, realizada esta segunda-feira, 27 de março, com quatro votos a favor do executivo do PSD e cinco abstenções dos vereadores do PS e da CDU.

Apesar da sua posição de voto, nenhum dos vereadores da oposição levantou qualquer questão acerca do documento ou pediu esclarecimentos à administradora da Águas de Santarém, Teresa Ferreira, que se limitou a apresentar algumas das linhas mais significativas do documento.

A responsável explicou que os resultados operacionais positivos foram conseguidos sobretudo devido a dois fatores, a redução significativa da aquisição de serviços externos, por um lado, e à estabilização das vendas, que andou pelos 8,1 milhões de euros, por outro.

O resultado líquido da Águas de Santarém rondou os 431 mil euros, um número sensivelmente igual ao do ano transato.

Teresa Ferreira sublinhou ainda que a Águas de Santarém concluiu em 2016 todos os investimentos que tinha em curso na área do saneamento, o que é “um marco a nível da história da empresa”.

À Rede Regional, a administradora da empresa municipal explicou que a taxa de cobertura de saneamento ronda neste momento os 90%, a nível do concelho, havendo ainda ligações de clientes particulares à rede que estão a decorrer.

torresnovasNERSANTministropari

O Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, marcou presença numa mostra de produtos agroalimentares portugueses organizada pelo Agrocluster Ribatejo em Paris.

O governante, segundo uma nota de imprensa da Nersant, elogiou a iniciativa e referiu que "é assim que se faz o contacto direto com os operadores e se dá a conhecer o que Portugal faz de melhor".

Este evento, intitulado "Aliments du Portugal - Tradition & et Innovation", realizou-se no Consulado Geral de Portugal em Paris, tendo-se iniciado com um showcooking com o chef português galardoado com uma estrela Michelin, Pedro Lemos, realizado no “L´évenement Gourmet”.

No showcooking, onde foram realizados três pratos e uma sobremesa com os produtos portugueses, estiveram diversos proprietários de restaurantes, bloggers e jornalistas, bem como o Cônsul de Portugal em Paris, António Moniz e representantes da AICEP na capital francesa.

Nesta mostra onde o Agrocluster apresentou os produtos de diversas empresas portuguesas do ramo alimentar a compradores, distribuidores e importadores que operam no mercado francês, Manuel Caldeira falou com os participantes e elogiou a iniciativa, classificando-a “como uma excelente oportunidade para Portugal dar a conhecer aquilo que faz de melhor”.

Pêra rocha, maçã, purés de fruta, azeite, vinho, vinagres, molhos, sumos de fruta, compotas, marmeladas, mel, arroz, queijos, enchidos e frutos secos foram alguns dos produtos que representados na ação.

chamuscarecolhamonos

A Câmara Municipal da Chamusca lançou uma campanha de proteção ambiental que inclui um serviço gratuito de recolha de monos e verdes, que se realiza mediante marcação prévia através do número de telefone 800 209 509.

A recolha de monos inclui objetos pesados e volumosos, fora de uso, como móveis, eletrodomésticos ou colchões, entre outros, assim como os resíduos verdes provenientes de jardins e pequenas podas.

A par do serviço de recolha de resíduos, está a decorrer também a ação de sensibilização “Brasas no contentor, NÃO!”, que apela a todos os munícipes para a não deposição de cinzas ou outro material incandescente no interior dos contentores, de modo a evitar incêndios e a destruição do equipamento.

A Câmara recorda ainda que o abandono de resíduos e a descarga em locais não licenciados são proibidos, e constituem contraordenações muito graves, às quais correspondem coimas de 20 a 37.500 euros, se praticadas por pessoas singulares e de 38.500 a 2.500.000 euros, se praticadas por pessoas coletivas.

Balonismo em Coruche - Fotos João Dinis