app chamuscafestival bike sideshow

samora ciclismo

A equipa do CPR A-do-Barbas venceu este domingo, 21 de janeiro, a terceira edição do Contra-relógio por equipas da Casa do Benfica de Samora Correia, no concelho de Benavente, que contou com cerca de 450 ciclistas e uma pequena fortuna em bicicletas, algumas com um valor comercial acima dos 10 mil euros..

Luís Camacho, Renato Macedo e Ivo Santos, trio de ataque da equipa vencedora, chegaram a rolar a 55 km/h e terminaram a prova com o melhor tempo e uma média de 51 km/h.  Na segunda posição ficou a equipa “Ciclismo 2640” e o terceiro lugar foi para “Pinabike”, seguindo-se os alentejanos da “União de Ciclismo do Alentejo” e da “Casa do Benfica de Grândola”.

Jorge, 32 anos, funcionário público, confessa que tem duas bicicletas e qualquer delas vale mais que o seu carro, avaliado em 8.500 euros. “Eu ando de bicicleta todos os dias. É uma paixão e preferi investir em boas máquinas e equipamentos porque divirto-me com esta modalidade. O carro é para me deslocar para o trabalho e passear com a família, quando não há provas”, conta, pedindo reserva do apelido para não gerar mal entendidos. “Podem achar que sou rico e não sou. Esta bicicleta estou a pagar a crédito com uma prestação de 160 euros” revela.

Entre os participantes na corrida estiveram alguns nomes sonantes do ciclismo, duatlo e triatlo que aproveitaram o percurso para fazer um bom treino. Sérgio Marques, que foi recordista no Ironman, uma das provas mais exigentes do triatlo, correu ao lado de ciclistas anónimos que fazem do ciclismo uma prática saudável e promotora do convívio.

José Carlos, 60 anos, mostra o display que evidencia a média realizada de quase 40 km/h. “Já andei  mais rápido mas estou com quatro quilos a mais”, justifica.

O numeroso pelotão que coloriu as estradas de Samora Correia também sentiu o perfume de mulher com várias ciclistas em prova. A atleta da casa, Madalena Fontinhas, liderou a formação vencedora - 3B Black Team II, com Marta Andrade e Ana Martinho a contribuírem para o melhor tempo no setor feminino.

A organização ficou satisfeita com a maior participação de sempre, tendo sido rejeitadas inscrições por razões de segurança. Os ciclistas elogiaram o percurso, os cuidados de segurança e a hospitalidade da organização que preparou um banho quente,  águas, sumos e fruta no final da corrida.

Uma exposição de bicicletas e equipamentos mostrou as últimas novidades. Uma bicicleta de marca Merida atraiu a curiosidade dos ciclistas mas nenhum se atreveu a comprá-la ainda que estivesse com uma promoção por um valor de 9.990,00 euros. 

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis