chamusca baguncadabanner tasquinhas2017

Cultura

santaremCIJVSacordosaovicente

O Centro de Investigação Professor Joaquim Veríssimo Serrão (CIJVS), a União de Freguesias de São Vicente do Paul e Vale de Figueira e a comissão social local celebraram um protocolo de colaboração visa estreitar as relações de cooperação e intercâmbio.

O acordo foi firmado no passado dia 21 de Março, e pretende, segundo uma nota do CIJVS, que as instituições signatárias “possam beneficiar de ações de colaboração nos domínios dos objetivos das atividades a que se dedicam”.

“Poderão impulsionar iniciativas conjuntas na área da investigação, no plano sociocultural e científico, que a concretizar representem uma mais-valia para as populações”, acrescenta ainda a mesma nota.

avieiros

O antigo Centro Regional de Artesanato da Chamusca recebe esta sexta-feira, 24 de março, pelas 21h30, mais um espetáculo do ciclo cultural Inquieto. Desta vez, a Companhia de Teatro do Ribatejo leva a palco a peça “Um Rio com Gente Dentro”, do escritor Alves Redol.

O ciclo cultural INquieto, promove grandes autores nacionais e internacionais e demostra várias formas de transmitir os afetos, em que se interroga a humanidade e a cultura, onde a partilha de artes e emoções se cruzam.

“Um Rio com Gente Dentro” descreve a vida dura e rigorosa das gentes do Ribatejo, os avieiros conhecidos como "ciganos do rio", em honra à vida nómada que os fazia percorrer em certa altura do ano o caminho entre as praias de Vieira de Leiria e as aldeias à beira Tejo. Hoje são recordações poéticas de vidas semeadas de luta num Tejo que os acolheu e que dele fizeram o seu lar, o seu encanto, a sua alegria e vida.

Este romance lírico, de um entusiamo doloroso e concreto, em que as GENTES de hoje vão poder reviver memórias desta tradição que ficou em tempos passados e que já mais voltarão, enquanto outra parte aprenderá esta realidade dos nossos antepassados, a guardará e divulgará a gerações futuras, de modo a preservar estas memórias para que permaneçam na nossa história.

Tasquinhas inaugura

A edição 2017, a 32ª da Feira das Tasquinhas de Rio Maior, um certame gastronómico que se prolonga até 2 de abril, no pavilhão multiusos da cidade, foi inaugurada na tarde desta sexta-feira, 24 de março.

A presidente da autarquia, Isaura Morais, e o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, abriram as “hostilidades” num certame de características bem próprias, já reconhecido de interesse turístico nacional (em 2006) e que, em 2014, recebeu o prémio de “Melhor Evento Gastronómico” da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo.

Com 24 tasquinhas, de outras tantas associações do concelho, que aqui servem o melhor da gastronomia regional e aproveitam para compor as finanças das respetivas coletividades, o certame é feito à base de voluntariado e carolice, um fator realçado pela presidente da autarquia durante a cerimónia de inauguração.

“São mais de 1.500 homens e mulheres que durante estes dez dias abdicam do seu tempo em prol da sua freguesia”, disse Isaura Morais, considerando que “este é talvez o lado mais nobre das tasquinhas”.

“Temos aqui muitos pratos típicos da região, confecionados com o mesmo amor e o carinho que as nossas mães e avós usavam”, completou a autarca, antes de descerrar uma placa com o nome dos 7 impulsionadores do certame, em 1986.

João Paulo Rebelo salientou o espírito comunitário das Tasquinhas de Rio Maior e a simbiose que aqui existe entre a “preservação das tradições” e o “rejuvenescimento e reinvenção” de um certame já com história.

Este é um concelho amigo do desporto e estou certo que os excessos gastronómicos vão depois ser compensados com atividade física”, brincou o governante.

As Tasquinhas resultam de uma parceria entre a câmara, a Associação Empresarial do Concelho de Rio Maior e as coletividades locais, sendo estas últimas responsáveis pela construção das tasquinhas representativas de locais emblemáticos das próprias freguesia, onde os visitantes podem provar uma vasta panóplia de petiscos regionais.

Para abrir o apetite, e olhando apenas para alguns dos cardápios, os visitantes podem provar Bacalhau com Mangusto, Cabrito Serrano, Galo com Nozes, Tiborna, Chanfana, Favas com Entrecosto, Ensopado de Borrego ou uma original Feijoada de Lentos, aliados aos saborosos enchidos e queijos regionais, ao saboroso pão de milho e trigo das panificadoras tradicionais do concelho, temperados com o azeite dos campos e o sal das Salinas de Rio Maior e regados com os vinhos produzidos no concelho.

Ao contrário de outros certames, as Tasquinhas de Rio Maior não apostam na restauração profissional. Nas tasquinhas de cada freguesia trabalham dezenas de pessoas, num total de mais de mil voluntários, que se vão substituindo nas cozinhas e no atendimento ao público.

É com este voluntariado que as associação encontram aqui uma forma de financiamento para as diversas atividades culturais, recreativas e desportivas que as mesmas desenvolvem ao longo do ano.

Além das tasquinhas e da parte gastronómica, os visitantes poderão também dar uma volta pelos 75 stands de empresas e instituições, bem como os espaços Show Cooking e Música e Café, situados no 1º andar, e as tendas exteriores de Doçaria e Artesanato, com 55 stands, além do já habitual TasquinhasFest, reservado aos bares e dj’s.

Conheça o programa completo das Tasquinhas AQUI.

Balonismo em Coruche - Fotos João Dinis