chamusca appcoruche sabores-tasquinhas

Cultura

almeirimFIFCAarranque

A 6ª edição do Festival Internacional de Folclore, Cultura e Artes (FIFCA) está espalhado por cinco concelhos do Ribatejo até ao próximo sábado, 28 de abril, com um vasto programa de exibições, galas e atuações.

A habitual cerimónia do hastear das bandeiras, realizada em Almeirim, com representantes de todas as entidades envolvidas na organização, marcou o arranque desta iniciativa, que se realiza de dois em dois anos e tem vindo a registar um crescimento assinalável desde a sua primeira edição.

Este ano, o festival traz a Portugal cerca de 150 elementos de seis comitivas estrangeiras, vindas da Roménia, Bulgária, México, Colômbia, Egipto e Argélia, e que representam as tradições etnográficas de cada país.

A organização estima atingir um total de 60 mil espetadores, nos concelhos de Almeirim, Alpiarça, Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos, os cinco municípios ribatejanos que acolhem o FIFCA 2018, um evento que, pela sua dimensão e número de atividades paralelas, há muito que ultrapassou a dimensão de um simples festival de folclore.

Além das galas de exibição em vários cineteatros dos concelhos que participam no FIFCA, os grupos de dançarinos estrangeiros vão passar por escolas, centros de dia e outras instituições da região.

A programação completa pode ser consultada na página da Internet ou no Facebook do FIFCA 2018.

barquinhaVhilsarteurbana

Vhils, nome pelo qual é conhecido o artista Alexandre Farto, já concluiu a primeira intervenção artística em espaço público no âmbito do projeto “Artejo”, uma homenagem aos oleiros que pode ser observada na Atalaia, concelho de Vila Nova da Barquinha.

Tendo em conta a tradição e a importância histórica da olaria na região, a obra de Vhils tem como base uma fotografia de Pérsio Basso, de 2008, que retrata João Caetano, o último dos oleiros de Atalaia, a moldar o barro na sua roda manual, num processo completamente artesanal.

Ainda dentro do “Artejo”, no concelho da Barquinha estão a ser desenvolvidas outras 10 intervenções artísticas distribuídas pelas freguesias da Atalaia, Praia do Ribatejo, Tancos e Barquinha, a cargo dos artistas Manuel João Vieira, Violant e Carlos Vicente.

O trabalho dos artistas dará forma a um roteiro de arte pública, que integrará as 11 esculturas do Parque de Escultura Contemporânea Almourol.

scot mathew

O cantor australiano Scott Matthew, conhecido sobretudo por estar ligado a bandas sonoras de vários filmes, aproveitou uma "folga" de 5 dias em Lisboa para apanhar o comboio e visitar Santarém, cidade à qual dedicou uma canção, que incluiu no seu último trabalho, lançado na sexta-feira, 20 de abril.

A viagem não estava planeada mas o cantor, que veio a Portugal a convite do músico Rodrigo Leão, diz que ficou seduzido pela cidade e "Santarém" é agora também a última música do seu álbum “Ode to Others", como contou à revista "Blitz".

"Passei cinco dias lá [em Santarém]. Geralmente, passaria esse tempo sem nada para fazer em Lisboa, mas dessa vez resolvi meter-me num comboio e passar algum tempo num sítio novo. E deixei-me seduzir pela cidade. Foram cinco dias perfeitos. Muita solidão… senti-me submergido em história. Encheu-me a alma de uma forma que já não sentia há muito tempo. Escrevi um poema, depois o meu amigo, produtor e guitarrista, Jürgen, compôs alguns acordes e eu fiz a melodia. É uma ode a Santarém", afirmou Scott Matthew à revista portuguesa, especializada em música.

Na entrevista, que pode ser AQUI, Scott Matthew fala sobre a sua carreira, a sua vida e este seu novo trabalho.

Cerimónia de Apresentação Santarém Cup 2018