app chamuscabanner festas coruche

Cultura

erturismo

Os novos órgãos sociais da Turismo do Alentejo e Ribatejo, que continuam a ter António Ceia da Silva como presidente da direção, tomaram posse no dia 19 de julho, quinta-feira, no Núcleo Museológico da Adega do Zé Lelito, em Ferreira do Alentejo, uma semana depois da eleição, realizada a 12 deste mês.

No decorrer do ato, o Presidente reeleito destacou que a elaboração de um Plano Estratégico para o Turismo para o universo temporal 2020/2027 é uma das principais prioridades para o segundo mandato que vai cumprir, após a reestruturação de 2013, à frente dos destinos Alentejo e Ribatejo.

Defensor acérrimo da planificação para se atingir a eficácia promocional e a alavancagem do setor, Ceia da Silva assume ainda como prioridades a defesa e o trabalho em prol de uma viragem das regiões no que respeita às infraestruturas, como por exemplo as acessibilidades, tais como as ligações ferroviárias e o dinamização e rentabilização do aeroporto de Beja.

Em linha de continuidade com o trabalho que tem sido desenvolvido nos últimos anos - com foco na requalificação, na oferta de excelência e na defesa do que é identitário - os órgãos agora empossados vão continuar a apostar na estruturação do produto e na certificação de toda a cadeia de valor do setor.

Recorde-se que o Alentejo é o primeiro destino a ser reconhecido pelo trabalho conjunto realizado com as PME do setor do alojamento, através da utilização de um referencial apoiado pela Organização Mundial de Turismo e UNESCO.

A formação, assim como a internacionalização dos destinos, fazem também parte das fortes apostas dos membros dos novos órgãos sociais da ERT, em funções nos próximos cinco anos.

Para além de Ceia da Silva, tomaram posse, para a Comissão Executiva, Vítor Silva, Isaura Morais, Pedro Dias, João Cavaleiro Ferreira, Manuel Bio, Isabel Guerreiro, Libânio Reis, Lurdes Ferreira e Diogo Serra.

Na Assembleia Geral foram empossados Luís Pita Ameixa e Mário Pereira, e no Conselho de Marketing Gonçalo Rebelo de Almeida, Francisco Zambujinho, José Roquete, Marta Cabral, Francisco Alves, João Moita e Felix Ott.

conservatorio musica santarem

Após várias semanas de “guerrilha” interna entre a lista B, liderada por Nuno Martins, de 42 anos, professor na instituição, e Beatriz Martinho, histórica presidente que lidera a organização há cerca de 25 anos e que é a candidata da lista A, o Conselho Fiscal do Conservatório de Música de Santarém (CMS) decidiu suspender o processo eleitoral em curso, adiando as eleições que estavam marcadas para esta sexta-feira, 20 de julho, para 14 de setembro.

Além de adiar as eleições, o Conselho Fiscal, que, ao abrigo dos estatutos, teve de substituir as competências da Mesa da Assembleia Geral, uma vez que os membros deste órgão alegaram impedimento pessoal, afastando-se da instituição nesta fase conturbada, veio ainda reafirmar a validade do caderno eleitoral que é contestado pela lista B, determinando que poderão votar os elementos constantes da listagem à data da marcação das eleições.

Para a lista de Nuno Martins, o regime jurídico das cooperativas apenas considera cooperadores efetivos docentes, investigadores, alunos e/ou encarregados de educação e outros trabalhadores da instituição e não cooperadores beneméritos e honorários, como defende a lista de Beatriz Martinho, que garante que, ao contrário do que pretende a lista opositora, não vão ser excluídas pessoas que participaram no capital inicial da cooperativa, que sempre votaram nas anteriores eleições e foram admitidas de acordo com os estatutos em vigor.

As duas listas têm entendimentos contraditórios sobre esta questão e o adiamento pode não apaziguar o diferendo, até porque alguns pais, alegadamente afetos à lista B, queixaram-se em massa no livro de reclamações, tendo inclusivamente a PSP sido chamada ao local, uma vez que o livro ficou cheio com tanta reclamação.

A lista de Nuno Martins refuta ainda a legitimidade do Conselho Fiscal para cancelar o processo eleitoral, mas a lista de Beatriz Martinho alega outra ilegalidade que poderá inclusivamente impedir a candidatura do candidato principal da lista B. É que Nuno Martins é professor do Conservatório e, ao ser eleito presidente, seria simultaneamente diretor e funcionário, funções que a lista A defende serem incompatíveis, uma vez que, a verificarem-se, o presidente poderia tomar decisões em causa própria, colocando em causaa independência da direção.

O Conservatório de Música de Santarém, fundado em maio de 1985, é uma cooperativa sem fins lucrativos que desenvolve a sua ação não só na formação geral de músicos, como também na organização de concertos, concursos quer a nível nacional, como internacional, audições, recitais, seminários, cursos de aperfeiçoamento, etc.

Com paralelismo pedagógico atribuído pelo Ministério da Educação, leciona os cursos básicos (do 1º ao 5° grau) e secundários (do 6° ao 8º grau) de música de vários instrumentos, entre eles piano, viola, violino, contrabaixo, canto, flauta, trompete e acordeão.

sardoalcinemaarlivre

Durante todo o mês de agosto, e pelo quinto ano consecutivo, o jardim do Centro Cultural Gil Vicente, no Sardoal, volta a receber sessões de cinema ao ar livre, sempre às quintas-feiras, a partir das 22 horas, com entradas livres.

O ciclo inicia-se no dia 2 de agosto, com o filme “Amigos Improváveis”, seguindo-se “A Morte de Estaline”a 9, “Monty Phyton e o Cálice Sagrado” a 16; “Orgulho”a 23, e “Offside” no dia 30.

Durante as sessões de cinema, que têm por mote “Grandes Filmes, Noites Quentes”, o espaço Cá da Terra estará aberto com serviço de bar.

As noites de cinema ao ar livre são promovidas pela Câmara do Sardoal, em parceria com o espaço Cá da Terra, o EspalhaFitas – Secção de Cinema da Palha de Abrantes, e da TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis