chamusca ascensao2017fna2017

Cultura

rederegional

A Rede Regional terminou o mês de abril com mais de 1,2 milhões de páginas vistas (1.243,145), ficando a cerca de 74 mil acessos do máximo mensal, conseguido em Março desde ano (1.317,054).

Os números de abril representam uma média diária de mais de 14 mil visitantes e mais de 41 mil páginas vistas por dia (41,438).

O crescimento da Rede Regional, que já contabiliza cerca de 4,5 milhões de acessos desde o início do ano, vai de encontro com o crescimento da visibilidade dos jornais online em Portugal e o consequente decréscimo das edições em papel.

Os dados do Netpanel meter da empresa Marktest, que mede as audiências online, mostram um aumento no número de horas de navegação em sites de informação durante o mês de março.

Segundo os dados deste barómetro, foram 3287 mil os residentes no Continente com 4 e mais anos que acederam a sites de jornais, revistas e de notícias portugueses a partir de computadores pessoais, o que corresponde a 55.5% dos internautas nacionais.

Neste período, foram visitadas 297 milhões de páginas de sites de informação, uma média de 90 por utilizador.

O tempo total de navegação nestes sites superou as 4,8 milhões de horas, uma média de 1 hora e 28 minutos por utilizador. Estes números evidenciam um aumento de 10% no número total de horas e de 17% no número de horas por utilizador, quando comparados com o mês homólogo do ano anterior.

A notícia mais lida em abril foi “Acampamento escondia grande quantidade de material furtado“, com 37.156 leituras, seguida de “GNR deteve 14 suspeitos em festa trance no Cartaxo“, com 28.735 visualizações, e de “Mulher raptada em Torres Novas acorda no Entroncamento“ , lida por 21.855 leitores.

cultura tauromaquica

A 18ª edição do Mês da Cultura Tauromáquica de Azambuja, que culminará, como tem sido tradição nos últimos 17 anos, com a realização da centenária Feira de Maio, iniciou-se este domingo, 30 de abril e só vai terminar daqui a cerca de um mês, a 29 de maio.

Este domingo foi inaugurada a exposição, intitulada “Tauromaquias Daqui, Dali, e do Outro Lado”, composta por parte da coleção pessoal do aficionado Marco Gomes e promovida pela Tertúlia “Festa Brava”, e que vai estar patente na Galeria da Biblioteca Municipal de Azambuja.

A associação cultural “A Poisada do Campino” levou também este domingo a efeito nas suas instalações um colóquio subordinado ao tema “Toureio a Cavalo – Passado, Presente e Futuro”.

Os fins de semana que se seguem são cheios de atividades, com diversos colóquios, um festival de escolas de danças sevilhanas, a apresentação da equipa “Azambuja Horseball Team”, largadas de toiros recolhidos a cavalo, um treino de forcados, uma sessão de “Mesa da Tortura”, um “Encierro” de vacas, e momentos de música e convívio.

Já com o fim do mês à porta, de 25 a 29 de maio de 2017, chega a sempre esperada Feira de Maio, um dos certames mais tradicionais da região, com as suas largadas e concertos, entre muitas outras atividades.

 

NOTÍCIA RELACIONADA:

Feira de Maio está de regresso com festa brava e muita música

festa fazendeiros

A Junta de Freguesia de Pontével, no concelho do Cartaxo, organiza este domingo, 30 de abril, mais uma edição do tradicional Almoço dos Fazendeiros, um dos momentos mais importantes da Festa dos Fazendeiros, que se iniciou a 23 de abril e termina justamente com este almoço de homenagem aos fazendeiros com mais de 70 anos.

Antes do almoço, a Festa dos Fazendeiros teve no Cortejo de Viaturas Rurais e Grupos Apeados, realizado no passado domingo, outro dos momentos mais relevantes. Centenas de pessoas saíram à rua para participar ou assistir ao cortejo que reúne viaturas rurais e grupos apeados. Em todos, um tema comum – a vida da própria população representada nas sua tradições, nas profissões de outros tempos, nas personagens que ainda marcam a memória do povo e a história do dia a dia da vila.

Da roupa do campo às ferramentas de trabalho, da amassadura do pão ao forno a lenha de onde saíram Caspiadas quentinhas, do chouriço a assar nas brasas ao pão de ló, da monda do arroz à descamisa do milho, do capataz que escolheu os homens e as mulheres para o trabalho nos campos à barbearia do senhor Aníbal onde a barda era cortada entre dois copinhos de vinho, foram sempre as memórias do povo que deram o mote aos dez grupos apeados e aos 16 carros alegóricos que participaram no cortejo.

Organizada pela primeira vez em 1956, a Festa dos Fazendeiros, que se realiza atualmente de dois em dois anos, é promovida por uma Comissão Organizadora, com o apoio da Junta de Freguesia de Pontével.

Balonismo em Coruche - Fotos João Dinis