chamusca ensaiobambu

Cultura

rede2016

O ano de 2017 foi o melhor de sempre para o jornal Rede Regional, que registou um aumento exponencial do número de visitantes, visitas e páginas vistas, tendo ultrapassado os 10 milhões de visualizações, um crescimento de quase 100 por cento relativamente a 2015.

De 1 de janeiro a 31 de dezembro do ano que agora terminou, a Rede Regional teve um total de 10,050.494 visualizações, um crescimento de 4,7 milhões relativamente a 2015 (5,306.242).

O crescimento é notório também ao nível do número de visitas, que subiu de pouco mais de milhão e meio (1,561.751) em 2015, para mais de 4,3 milhões (4,342.277) em 2016, um acréscimo de mais de 2,7 milhões de visitas (2,780.526).

O número de visitantes únicos seguiu a mesma tendência, passando de 845.215 em 2015 para mais de 2 milhões em 2016 (2,046.030).

Em média, por dia, a Rede Regional teve mais de 27 mil páginas vistas (27.535).

O mês de maio, com quase 1,2 milhões de visualizações, seguido de novembro, com pouco mais de 1 milhão, e junho, com 976 mil páginas vistas.

Em termos de notícias, a mais vista do ano foi “Setembro entra a ferver”, com mais de 77 mil visualizações (77.628), seguindo-se “Jovem de 16 anos ferido com muita gravidade em despiste de mota”, com 76.082 e “Jovem de 19 anos morre em acidente de viação”, com 69.694 acessos.

anne frank

A Câmara da Chamusca vai promover, integrado na agenda cultural de janeiro a fevereiro, com periodicidade quinzenal, o ciclo cultural "INquieto", que apresentará uma série de espetáculos diversificados que permitam uma abordagem emocional de temas que questionam a humanidade e a vivência cultural, numa partilha com o público de emoções e sentidos.

O ciclo vai realizar-se no antigo Centro Regional de Artesanato, com produção da Companhia de Teatro do Ribatejo – CTR e, partindo da arte teatral como pano de fundo para outras intervenções artísticas, pretende ser uma espécie de confrontação entre o público, os artistas e o espaço, criando novas formas de leitura artística que surpreendam em cada sessão o espetador.

Por esse motivo o espaço amplo do antigo Centro Regional de Artesanato será transformado em cada sessão, num palco original conforme a temática de cada espetáculo, que mistura os génios de Pessoa, Saramago, Gogol, Alves Redol, Santareno, Florbela Espanca.

"Este ciclo surge na sequência natural do projeto cultural do Município com o objetivo de diversificar a oferta cultural, como forma de aproximação a públicos diferenciados, procurando estimular a produção cultural, lançando desafios aos criadores locais”, explica a vice-presidente do Município, Cláudia Moreira.

O dia 13 de janeiro de 2017 marcará o início do ciclo com o espetáculo Minha Querida Anne Frank, baseado nas cartas da própria Anne Frank e outros textos, onde o Holocausto é retratado através dos olhos duma jovem cujas cartas resistiram ao terror nazi e se transformaram num dos maiores símbolos de denúncia de um dos maiores crimes contra a humanidade.

torresnovasviriginiaopera

O Teatro Virgínia, em Torres Novas, inicia o primeiro trimestre de 2017 com o espetáculo “Ópera para Todos”, pelo grupo Allegro, num concerto agendado para dia 7 de janeiro, às 21h30.

De Verdi a Mozart, ou de Gounod a Handel, com apontamentos de alguns dos mais famosos musicais, Allegro promete um espetáculo de aproximação ao grande público sem nunca perder de vista o seu nível de exigência, ou o objetivo de cada compositor para o momento operático que interpretam.

Com quatro vozes e um piano num ambiente de festa e glamour, Allegro “convida o público a revisitar os grandes compositores e as suas áreas mais emblemáticas”, com “interpretação e virtuosismo num leque vocal fresco e impressionante”, explica uma nota de imprensa da Câmara de Torres Novas.

Os bilhetes custam 7,5 euros.

Desert Challenge 2017