chamusca appelgalego natal2017

Cultura

santaremteatromandarim

O Teatro Sá da Bandeira (TSB), em Santarém, vai acolher a estreia nacional de “O Mandarim – Apóstrofe e Paciência”, um espetáculo de Pedro Barreiro construído a partir do romance de Eça de Queiroz “O Mandarim”.

Esta coprodução do TSB e da Activo Tóxico – Artistas Associados sobe ao palco pela primeira vez no 1 de dezembro, às 21h30, tendo já também sessões marcadas para os dias 2, 8 e 9 de dezembro, no mesmo horário.

Com a dramaturgia a cargo de Fernando Brito, Paul Valéry e Pedro Barreiro, e a direção técnica de Tiago Correia, esta peça de teatro para maiores de 18 anos conta com as interpretações de Carla Reis, Fernando Brito, Fernando Romão, Pedro Barreiro, Sandra Oliveira, Sérgio Pereira e Silvana Ivaldi.

Os bilhetes custam 5 euros.

salvaterracentrointerpretacao

A Falcoaria Real de Salvaterra de Magos vai inaugurar o Centro de Documentação “Joaquim da Silva Correia e Natália Correia Guedes" no próximo dia 1 de dezembro, às 15 horas.

A data, segundo uma nota de imprensa da Câmara de Salvaterra, “assinala o primeiro aniversário do reconhecimento pela UNESCO da prática da falcoaria em Portugal como Património Cultural Imaterial da Humanidade”, numa candidatura que foi liderada pela autarquia e apresentada em conjunto com a Universidade de Évora e a Associação Portuguesa de Falcoaria.

Natália Correia Guedes, que vai estar presente na inauguração, é doutorada em Museologia e foi subsecretária de Estado da Cultura entre 1990 e 1991, quando se realizou a compra do edifício da Falcoaria Real por parte da Câmara de Salvaterra de Magos ao Conde Monte Real.

É fundadora e presidente da Associação Portuguesa de Falcoaria, descendente dos falcoeiros holandeses que se fixaram na vila no século XVIII, ao serviço da coroa portuguesa.

Joaquim da Silva Correia, pai de Natália Correia Guedes, dedicou muito do seu tempo à pesquisa sobre a história de Salvaterra de Magos e ao estudo da falcoaria, do edifício e à descendência da sua esposa dos falcoeiros holandeses de Walkenswaard.

O estudo e pesquisa de Joaquim da Silva Correia e Natália Correia Guedes deram origem à publicação, em 1989, do livro “O Paço Real de Salvaterra de Magos”, sendo até então uma das obras mais completas sobre a história desta vila.

A doação de Natália Correia Guedes de algum espólio documental foi o primeiro acervo recebido que impulsionou a constituição deste centro de documentação.

santarembotascastanho

O Círculo Cultural Scalabitano (CCS) vai assinalar o seu 63º aniversário este sábado, 25 de novembro, às 16 horas, no Teatro Taborda, seguindo-se um grande jantar de convívio entre os associados e familiares às 20 horas, no restaurante Varanda do Parque, no Cnema, em Santarém.

Das comemorações da efeméride, destaque para a homenagem a Joaquim Botas Castanho, sócio fundador, e que vai receber a distinção de “Ilustre Amigo do CCS”.

Joaquim Botas Castanho foi presidente da mesa da assembleia geral de sócios e da direção, estando ligado, enquanto presidente, à criação espetáculo comemorativo dos 50 anos do CCS “Ode ao Ribatejo”, que teve um enorme sucesso no distrito e no país, e no qual participaram todas as secções.

Além de Botas Castanho, a atual direção do CCS vai homenagear Manuel Sizudo Alfaiate, Maria Luísa Belchior Nunes e Otávio Paes Mendes, que perfazem 50 anos consecutivos como sócios.

A direção vai ainda atribuir a medalha de honra do Círculo a Joaquim Vale Cruz, Nuno Ferreira da Costa Domingos e Vítor João Murta da Silva, e a medalha de mérito do Círculo a Margarida Lencastre Fróis, Angelina Madeira Fernando Maia e Leonor Lopes.

Futebol: Jogo Coruchense x Mondenense | Fotos: João Dinis