chamusca apptagus

Categoria: Cultura

benaventesamorafestascampino

Entre os dias 17 e 21 de agosto, Samora Correia afirma-se como a capital do touro bravo, com um programa de festas quatro entradas de touros conduzidos por campinos e cavaleiros amadores a cavalo, dois encierros com os touros a percorrerem a avenida principal da cidade, uma corrida de touros e uma garraiada na praça de touros, entre outras atividades.

À espera de milhares de visitantes, a cidade do concelho de Benavente vai reviver as tradições ribatejanas durante os cinco dias das festas em Honra de Nossa Senhora da Oliveira e Nossa Senhora de Guadalupe, que, como habitualmente, mantêm a sua forte componente religiosa.

Além das procissões que decorrem nas ruas da cidade e as liturgias na igreja matriz, o ponto alto será a procissão com 18 imagens e milhares de fiéis em devoção na tarde de domingo, após o cortejo de Nossa Senhora de Alcamé, a padroeira dos campinos e lavradores.

Artesanato, gastronomia e os arraiais populares animam os cinco dias das festas, que têm na noite de sábado a tradicional sardinhada com distribuição gratuita de sardinha, pão e vinho.

No sábado de manhã, haverá provas de condução de jogos de cabrestos, picaria à vara larga e a bênção do gado e durante a tarde decorre o cortejo etnográfico com centenas de participantes entre campinos, cavaleiros, ranchos folclóricos, banda de música da SFUS e Fanfarra dos Bombeiros de Samora Correia.

A animação é distribuída por vários palcos com fado, folclore e música popular.

A organização é da ARCAS, que conta com dezenas de voluntários que colaboram gratuitamente na preparação dos festejos.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões