chamusca apptagus

Cultura

azambujamanifestival

A 2ª edição do Manifestival, um evento que pretende ser um manifesto pela vida no interior do país como alternativa, vai realizar-se no próximo dia 26 de agosto, na Praça dos Imperadores de Manique do Intendente, concelho da Azambuja.

A abertura do festival, que terá entradas livres, está marcada para as 16 horas, começando a música às 18 horas, até às 2 horas da madrugada.

“A viagem pelo jazz, rock, hip-hop e música popular portuguesa espelha o espírito do festival proporcionando aos presentes o acesso a novos sons e abordagens musicais e aos músicos a oportunidade de mostrarem o seu trabalho num novo ambiente”, explica um press release da organização.

Pelo palco vão passar os cavaquinhos de João Frazão, músico de renome na música tradicional portuguesa, o Bernardo Tinoco Sexteto – 1, o duo Magudesi, o trio de Dinis Costa, e, para encerrar, os Alcool Club.

O Manifestival terá também uma vertente gastronómica que dará enfase aos produtos da região e da época.

salvaterragloriahoteljackson

O Tribunal de Contas emitiu parecer favorável ao contrato da empreitada de reabilitação do Espaço Jackson, em Glória do Ribatejo, um projeto que contempla várias obras de beneficiação e melhoramento nos três edifícios onde estão instaladas várias coletividades desta freguesia do concelho de Salvaterra de Magos.

A informação foi dada pela própria autarquia, que no início de julho celebrou contrato para a execução da empreitada com a empresa EcoEdifica, SA, por um valor que ronda o milhão de euros.

A consignação da obra, que tem um prazo de execução de 15 meses, é o próximo passo e o arranque dos trabalhos está previsto para breve, segundo um comunicado da Câmara de Salvaterra.

“A reabilitação do espaço contempla, através de trabalhos de pintura, substituição de caixilharias, de telhados e da rede elétrica, uniformização de pavimentos, tratamento de fachadas, entre outros”, explica a mesma nota da autarquia, acrescentando que “será também melhorado o pátio exterior, comum aos três edifícios, com ampliação do alpendre e criação de zona de bar para a realização de atividades ao ar livre por parte das coletividades”.

Contíguo ao espaço já existente, será construído um novo auditório / sala polivalente com capacidade para 240 lugares, um átrio de exposições, uma biblioteca, além de camarins, instalações sanitárias e salas para arrumos.

almeirimpacorealribeiramuge

A Academia Itinerarium XIV da Ribeira de Muge, de Paço dos Negros, enviou uma carta aberta a todas as forças políticas do concelho de Almeirim que vão concorrer às próximas autárquicas de 1 de outubro, manifestado a sua apreensão “pelo estado de degradação a que chegou o Paço Real da Ribeira de Muge, propriedade do município”.

Nesta carta, a Academia pede aos partidos políticos que tenham esta questão em consideração aquando da elaboração dos programas eleitorais, e manifesta-se disponível para acompanhar todos os candidatos numa visita ao local, “de forma a que possam tomar conhecimento das fragilidades que apresenta”.

“Tendo em conta que se aproxima o ato eleitoral em que se elegerão os novos órgãos autárquicos, vimos por este meio apelar a que os programas eleitorais que irão ser apresentados para escrutínio das populações contemplem esta questão”, lê-se na missiva, onde a Academia pede “medidas concretas, que conservem o espaço e permitam que no futuro, mais ou menos próximo, seja possível dignificá-lo da forma que ele merece”.

Localizado em Paço dos Negros, o Paço Real da Ribeira de Muge é o último vestígio edificado que nos resta do Almeirim do século XVI, quando o espaço se assumia como um dos principais lugares onde a corte gostava de estanciar, devido ao seu clima e condições para atividades recreativas, nomeadamente a caça.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões